Administração inicia limpeza sob as estações de transmissão de energia

Iniciativa é ação conjunta entre município e concessionária, e acontece depois de polêmica envolvendo obrigatoriedade


Foto: Marcelo Rocha - O Liberal.JPG
Trabalho de conservação na Av. da Música, no Jaguari, feito por servidores municipais

A Prefeitura de Americana iniciou ontem a limpeza do mato sob as estações de transmissão de energia elétrica da CPFL Energia. A iniciativa é uma ação conjunta entre o município, e a concessionária e acontece depois da polêmica envolvendo a obrigatoriedade pela execução do serviço.

O trabalho começou pelo Jaguari. Uma equipe da UPJ (Unidade de Parques e Jardins), ligada à Secretaria Municipal de Meio Ambiente, esteve durante todo o dia trabalhando na limpeza de áreas na Avenida da Música. De acordo com a programação, na sequência devem ser limpas a Avenida da Música, no mesmo bairro, e a Avenida Europa.

Os locais integram os 19 trechos mapeados pelo município. O serviço começou a ser feito pela UPJ, mas segundo o secretário de Meio Ambiente, Odair Dias, a CPFL Energia recebe na próxima semana uma relação com os locais onde a administração espere que ela limpe.

“A Prefeitura fará a limpeza em alguns pontos e a CPFL em outros. Estamos preparando uma lista dos locais onde precisamos que ela limpe”. A concessionária questiona legalmente a lei municipal 6250/2018, que atribuiu a ela a responsabilidade pelos serviços de capinação, roçagem e poda sob as redes de transmissão. Enquanto a discussão segue, os efeitos da lei permanecem suspensos.

Durane reunião na última sexta-feira entre os secretários de Meio Ambiente, o diretor da UPJ, Antonio Donizete de Paula e o consultor de negócios da CPFL Energia, Marcos Marcelus Bueno, a prefeitura e a concessionária fecharam acordo para a ação conjunta visando a limpeza das áreas tomadas pelo mato. “Existe a briga na justiça, mas a população não pode ser prejudicada com esse impasse”, diz.

Para Odair Dias, a iniciativa é importante para evitar que o mato nessas áreas cause problemas e comprometa a segurança dos moradores do entorno. Ele cita que o objetivo é evitar acidentes de trânsito, facilitar a visão dos pedestres, a proliferação de vetores e manter a segurança dos moradores locais, além de impedir que esses pontos venham a ser atingido por focos de incêndio comuns no período de seca.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora