Dívida líquida da Usiminas cai 4% e atinge R$ 4 bilhões no 3º trimestre


A dívida líquida da Usiminas no terceiro trimestre do ano caiu 4% na relação anual para R$ 4 bilhões. Ante o trimestre imediatamente anterior a queda também foi de 4%. Com a queda da geração de caixa, contudo, a alavancagem subiu para 1,7 vez, ante 1,6 vez no segundo trimestre do ano.

O caixa da empresa, no fim de setembro, era de R$ 1,822 bilhão, aumento de 8% na relação anual e de 46% na trimestral.

Para este ano a Usiminas destaca que há vencimentos de R$ 59 milhões, de R$ 297 milhões em 2020 e de R$ 547 milhões em 2021. Em 2026, contudo, a dívida vai a R$ 3,123 bilhões.

Em seu demonstrativo financeiro, a Usiminas aponta que entre as obrigações com seus credores bancários, sua alavancagem precisa ser menor do que 3 vezes até 2021. Depois de disso, a obrigação é manter o indicador abaixo de 2,5 vezes.

Em relação aos bonds, o alavancagem da Usiminas precisa ficar abaixo de 3,5 vezes.

Vendas de aço

A lenta retomada da economia no Brasil está afetando a demanda por aço no País. As vendas do produto no terceiro trimestre do ano foram de 1,033 milhão de toneladas, queda de 7% na relação anual e de 2% na trimestral. No ano o cenário também é de pouca mudança. De janeiro a setembro os volumes vendidos somam 3,095 milhões de toneladas, recuo de 2% ante o visto no mesmo intervalo do ano anterior.

O custo de produção do aço no período subiu, em especial por conta do preço mais elevado do minério de ferro. Esse efeito foi parcialmente compensado, destaca a Usiminas, pelo preço mais baixo de placas.

As exportações, por sua vez, caíram na relação anual para 88 milhões de toneladas no terceiro trimestre do ano, retração de 23% ante o observado no mesmo intervalo de 2018. Na comparação com o período imediatamente anterior o recuo foi de 20%.

Minério

A venda de minério de ferro da Usiminas, por outro lado, registraram expansão. A Usiminas vendeu 2,453 milhões de toneladas, aumento de 39% na relação anual e de 38% quando a base é trimestral. No ano até setembro o volume chegou a 6,121 milhões de toneladas, aumento de 23% ante igual intervalo de 2018.

O salto da produção de minério pela Usiminas é explicada pela retomada na Planta Samambaia.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora