Witzel apela para que deputados mantenham veto que libera privatização da Cedae

O governador eleito do Rio, Wilson Witzel (PSC), fez um apelo para que os deputados estaduais mantenham o veto do…


O governador eleito do Rio, Wilson Witzel (PSC), fez um apelo para que os deputados estaduais mantenham o veto do atual governador, Luiz Fernando Pezão (MDB), à emenda que proíbe a privatização da Cedae. Mesmo sendo contra a venda da estatal, o governador eleito pediu que o veto seja mantido para evitar que o Estado perca o Regime de Recuperação Fiscal (RRF), o que impediria o pagamento do salário dos servidores em dezembro deste ano.

A venda da estatal é uma das exigências da União para a execução do RRF do Estado. Caso não cumpra as exigências estabelecidas, o Rio corre o risco de ter de ressarcir em R$ 18,8 bilhões os cofres federais.

“Faço aqui um apelo aos deputados para que, neste momento, nós mantenhamos o veto. Não que isso signifique a venda da Cedae. Ela não será vendida. É um compromisso meu que já assumi na campanha. Mas se houver a finalização do Regime de Recuperação Fiscal, os salários podem sequer ser pagos e os servidores podem passar por momentos de dificuldade”, disse o governador eleito.

Para Witzel, se o Rio perder o acordo que garante socorro financeiro da União, o Estado pode entrar em “colapso financeiro” já em dezembro deste ano.

Assembleia Legislativa

Em setembro deste ano, a Assembleia Legislativa do Rio aprovou uma emenda proibindo a privatização de Cedae. A emenda foi vetada pelo governador Pezão. Agora, a Casa pode manter ou derrubar o veto do governador, que foi afastado do cargo visto que foi preso nesta quinta-feira pela Polícia Federal.

Witzel quer manter a companhia sob administração do Estado. “Só é possível vender uma empresa pública se for deficitária, se não seria um contrassenso com a Lei de Responsabilidade Fiscal vender empresa que dá lucro”, disse o governador eleito.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!