07 de maio de 2021 Atualizado 11:15

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Política

Senador Ciro Nogueira (PP) lança pré-candidatura ao governo do Piauí

Por Agência Estado

26 abr 2021 às 15:25 • Última atualização 26 abr 2021 às 18:16

O senador Ciro Nogueira (PP-PI) lançou nesta segunda-feira, 26, sua pré-candidatura ao governo do Piauí. “Ser governador desse Estado não é uma obsessão, mas pode ser uma missão. Essa é certamente a diferença em relação ao lado de lá, que fabrica um candidato”, disse o senador.

Em entrevista coletiva, Nogueira afirmou que seu rompimento com o atual governador, Wellington Dias (PT), seria “uma coisa natural para o próximo ano”, visto que Dias sempre colocaria “os interesses de seu partido acima do Estado”. O senador fez parte da base de apoio ao petista em 2018.

Nogueira também acenou ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), afirmando que o mandatário seria o “mais bem-intencionado” do País. “Eu não concordo com tudo o que o Bolsonaro fala, com algumas posições. Eu tenho autonomia e pensamento próprio de divergir, mas eu acho ele, nos últimos anos, desde quando eu comecei a militar em política no nosso país, em 94, é o presidente mais bem-intencionado que nós tivemos no nosso País”, declarou.

O senador é membro titular da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigará a atuação do Planalto no combate à pandemia e o repasse de verbas federais aos Estados e municípios. Junto aos senadores Marcos Rogério (DEM-RO), Jorginho Mello (PL-SC) e Eduardo Girão (Podemos-CE), Nogueira compõe a base governista no colegiado.

O parlamentar também comentou a possibilidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) concorrer ao Planalto em 2022. Nogueira afirmou que apesar de admirar o petista, avalia que a população não deve apoiar sua candidatura.

“O Lula que está vindo hoje não é aquele Lula que veio para tentar erradicar a miséria e a fome. É um Lula que vem apenas para ser uma bandeira política de um partido político. Para tentar trazer esse partido de volta ao comando do país”, afirmou o senador.

Publicidade