06 de junho de 2020 Atualizado 16:45

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Política

Presidente do BB dá tréplica em Maia e diz que seu apego ao cargo é ‘zero’

Por Agência Estado

02 abr 2020 às 19:48 • Última atualização 02 abr 2020 às 20:49

O presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, deu uma tréplica no presidente da Câmara, Rodrigo Maia, em meio à discussão que transcorreu o dia por conta de comentários feitos pelo executivo sobre medidas de isolamento social. Ele afirmou que não é apegado ao cargo e manteve o tom do “bate boca” ao mencionar o time de futebol de cada um.

“O RM (Rodrigo Maia) deu uma declaração dizendo que digo o que digo para agradar ao (presidente Jair) Bolsonaro e me manter no cargo. Resposta: O Rodrigo não me conhece. Meu apego ao cargo é zero. Nossa diferença é que eu sou Fluminense e ele é Botafogo”, afirmou Novaes.

Botafogo é o time do presidente da Câmara e foi também o apelido atribuído a ele nas planilhas da Odebrecht, na Operação Lava Jato.

A tréplica ocorre após Maia afirmar, conforme noticiou o Valor Pro, que o presidente do BB era um “incompetente” e que o “único caminho” para se manter no comando do banco era “agradar o chefe”, ou seja, o presidente Jair Bolsonaro.

O debate à distância dos dois começou pela manhã após Novaes enviar um vídeo postado por Bolsonaro, via WhatsApp, no qual uma mulher pede a reabertura do comércio no País, acompanhado da mensagem “Vejam isso. Caiam na real!”.

A postura gerou reação por parte do presidente da Câmara dos Deputados, que aproveitou a videoconferência, pela manhã, organizada pelo Santander, para criticar a atitude. “O presidente do Banco do Brasil tem de tratar de liquidez e não sobre isolamento vertical”, disse Maia, na ocasião.

A réplica ocorreu na sequência. “Quanto ao Presidente da Câmara, entendo que não deve ter entre suas preocupações principais a desestabilização de um governo eleito com expressiva maioria de votos”, respondeu ele, ao Broadcast, citando as ações que o BB tem feito para garantir liquidez no sistema, com a rolagem de R$ 60 bilhões em dívidas. “O desejo de viabilização de uma candidatura do Centrão não se pode sobrepor à estabilidade institucional”, acrescentou.

Depois da resposta do presidente do BB, Maia o chamou de “incompetente” e, agora, Novaes deu a tréplica, mantendo a temperatura da discussão acalorada.