04 de agosto de 2020 Atualizado 22:47

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Política

Presidente da CPMI das Fake News pede dados das contas excluídas pelo Facebook

Plataforma derrubou uma rede de fake news e perfis falsos ligados a integrantes do gabinete do presidente, a seus filhos, ao PSL e aliados

Por Agência Estado

09 jul 2020 às 15:04 • Última atualização 09 jul 2020 às 15:35

O presidente da CPMI das Fake News, senador Angelo Coronel (PSD-BA), apresentou nesta quinta-feira, dia 9, um requerimento no qual solicita ao Facebook o conteúdo das contas ligadas à família Bolsonaro retiradas do ar. A plataforma derrubou uma rede de fake news e perfis falsos ligados a integrantes do gabinete do presidente, a seus filhos, ao PSL e aliados. Foram identificados e removidos 35 contas, 14 páginas e um grupo no Facebook e 38 contas no Instagram.

No documento, o parlamentar também pede para que a plataforma explique os motivos que levaram a decisão de excluir as contas. Segundo ele, as informações podem melhorar o relatório final do colegiado, formado por deputados e senadores.

“O importante é deixarmos que as redes sociais fiquem limpas e as pessoas não se influenciem por postagens mentirosas. Isso que é o papel da CPMI e o papel também do projeto 2630 que é sempre preservar o povo brasileiro que não pode mais conviver com essas porcarias que ficam sendo praticadas no seio das redes sociais que estão instaladas no Brasil”, afirmou o senador.

Parlamentar também pede para que a plataforma explique os motivos que levaram a decisão de excluir as contas – Foto: Fundo foto criado por natanaelginting – br.freepik.com

O parlamentar foi o relator do projeto de lei sobre Fake News aprovado no Senado em 30 de junho de 2020. O texto, que ainda será analisado pelos deputados, tenta implantar um marco inédito na regulamentação do uso das redes sociais, criando a chamada Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet. Pelo texto, as plataformas digitais, como o Facebook, deverão colocar em prática uma política de controle de disseminação de notícias falsas na internet.