13 de julho de 2024 Atualizado 00:27

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Política

Operação Última Milha: agente da PF enchia ‘grupo dos malucos’ com fake news

Por Agência Estado

11 de julho de 2024, às 15h38

A Operação Última Milha mapeou uma série de ações de ‘desinteligência’ promovidas pela ‘Abin paralela’ do governo Jair Bolsonaro para supostamente monitorar ministros do Supremo Tribunal Federal disseminar fake news sobre os integrantes do Poder Judiciário.

Segundo a Polícia Federal, auxiliares de Alexandre Ramagem, então chefe da Agência Brasileira de Inteligência, abasteciam um núcleo chamado ‘grupo dos malucos’ no Whatsapp com informações falsas sobre os integrantes da Corte máxima, com plena ciência da “desarrazoada desinformação produzida”.

O Estadão pediu manifestação de Ramagem. O espaço está aberto.

A PF implica diretamente um agente de seus próprios quadros, Marcelo Araújo Bormevet, e o policial militar Giancarlo Gomes Rodrigues. Eles foram presos na manhã desta quinta, 11, no bojo da quarta etapa da Operação Última Milha.

A PF identificou que Bormevet determinou a Giancarlo, seu subordinado na Abin, que “mandasse bala para sentar o pau” em um assessor do ministro Luís Roberto Barroso, um dos quatro ministros monitorados.

Segundo a PF, os investigados construíam “relações inexistentes, que desafiam a lógica comezinha, para gerar desinformação e atacar instituições e opositores”.

Publicidade