‘Não seremos subservientes a qualquer governo’, diz novo presidente da OAB-SP

O novo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo (OAB-SP), Caio Augusto Silva dos Santos, afirma que…


O novo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo (OAB-SP), Caio Augusto Silva dos Santos, afirma que a instituição ficará “vigilante” e não omitirá posicionamentos durante o governo do presidente Jair Bolsonaro. “Estaremos à disposição de todos os Poderes para empunharmos juntos a defesa da democracia e da cidadania, mas jamais seremos subservientes a qualquer governo de plantão”, disse Santos, em entrevista ao Broadcast Político.

O advogado vê com preocupação a reforma da Previdência a ser proposta pelo novo governo e afirma que a medida não pode afetar os mais pobres. Além disso, o novo presidente da OAB-SP critica posições defendidas por Jair Bolsonaro e pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, como o fim da progressão de pena e a possibilidade de gravar conversas entre advogados e presidiários.

Santos pede ao governo que haja espaço para diálogo e revisão de posições. “Quem não discute as possibilidades alternativas sempre erra”, declarou. O dirigente da Ordem paulista diz, contudo, acreditar que os governantes eleitos em outubro terão compromissos com a sociedade, que não permitirá – de acordo com ele – retrocessos na democracia.

Na entrevista, o presidente da OAB-SP também defende uma investigação sobre as movimentações financeiras de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), após o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) ter identificado transações “atípicas” nas contas de Queiroz.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!