15 de julho de 2024 Atualizado 11:54

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Brasil e Mundo

Milei e Bolsonaro assistiram juntos a jogo do Brasil em Balneário Camboriú

Por Agência Estado

07 de julho de 2024, às 12h43

O presidente argentino Javier Milei e o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), assistiram juntos ao jogo em que o Brasil foi eliminado da Copa América pelo Uruguai na noite deste sábado, 7.

Em visita ao Brasil pela primeira vez desde a posse no final de 2023, Milei participa da versão brasileira da Conferência de Política e Ação Conservadora (CPAC Brasil) neste final de semana, em Balneário Camboriú (SC).

O argentino desembarcou no aeroporto de Navegantes, cidade vizinha, e fez o trajeto até Balneário de carro em um comboio com batedores, onde chegou ao hotel em que Bolsonaro está hospedado por volta das 23h25.

O argentino não parou para falar com a imprensa, e assim que chegou foi recepcionado pelo ex-presidente e pelo governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos).

Acompanhado também do governador de Santa Catarina, Jorginho Mello (PL), os políticos assistiram juntos à partida das quartas de finais do campeonato, em que a seleção brasileira foi derrotada nos pênaltis.

O discurso de Milei é aguardado como um dos principais do evento e deve fechar o ciclo de palestras. A fala do argentino está marcada para o final da tarde deste domingo, 7. Bolsonaro falou com o público no sábado, 6, em seu primeiro pronunciamento público desde que foi indiciado pela Polícia Federal (PF) na quinta-feira, 4, pelos supostos crimes de peculato, associação criminosa e lavagem de dinheiro no caso das joias sauditas.

O argentino não se encontrará com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o que é considerado uma quebra de protocolo diplomático. Na semana passada, o petista disse que o presidente da Argentina deveria pedir desculpas pelas “bobagens” que falou sobre ele e o Brasil. Milei, contudo, voltou a repetir que Lula é “comunista” e “corrupto”.

Publicidade