Itamaraty confirma aval dos EUA para indicação de Eduardo Bolsonaro

Em entrevista, presidente destacou ainda que recebeu a resposta escrita pelo próprio presidente Donald Trump, "teve um linguajar pessoal no documento"


Foto: Reprodução - Instagram
“Foi pessoal, do próprio punho do Trump. Se ele autorizar aí eu mostro a vocês”, disse

O Ministério das Relações Exteriores informou que recebeu o aval do governo dos Estados Unidos para a indicação do nome do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para ser embaixador do Brasil em Washington. A indicação do deputado ao cargo ainda precisa ser apreciada pelo Senado.

“O Ministério das Relações Exteriores tem a satisfação de informar que o governo dos Estados Unidos concedeu agrément a Eduardo Bolsonaro como embaixador extraordinário e plenipotenciário do Brasil naquele país. De acordo com a Constituição brasileira, essa designação ainda deverá ser submetida à apreciação do Senado Federal”, diz a nota do Itamaraty.

Eduardo tem reunião agendada hoje com o chanceler Ernesto Araújo, no Palácio do Itamaraty.

No dia 26 de julho, o ministro das Relações Exteriores brasileiro confirmou que o Brasil enviou para o governo dos Estados Unidos a consulta para a indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro como embaixador no país norte-americano. Na diplomacia, essa consulta é chamada de agrément.

Hoje (9), o presidente Jair Bolsonaro disse, em conversa com jornalistas em frente ao Palácio da Alvorada, que ficou feliz com o sinal positivo dos Estados Unidos. “Estou muito feliz e tenho certeza de que esses laços de amizade e comerciais com os Estados Unidos serão potencializados com o Eduardo lá [na embaixada].” O presidente destacou ainda que recebeu a resposta escrita pelo próprio presidente Donald Trump, “teve um linguajar pessoal no documento que recebi. Foi pessoal, do próprio punho do Trump. Se ele autorizar, o Filipe Martins [assessor] vai entrar em contato e aí eu mostro a vocês”, disse o presidente.

‘Se não mostrar conhecimento, reprova’, diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que não tem pressa em encaminhar ao Senado a indicação do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para a embaixada brasileira em Washington. Ao deixar o Alvorada, ele relatou que recebeu a resposta oficial dos Estados Unidos dando aval à indicação por meio de uma carta escrita de próprio punho pelo presidente norte-americano, Donald Trump.

Bolsonaro reforçou ainda que o filho vai precisar demonstrar conhecimento no Senado, onde a indicação precisa ser aprovada. “Se não mostrar conhecimento, reprova”, declarou o presidente. Ele reforçou ainda que o deputado é “muito bem relacionado” entre os senadores, após ser questionado que argumentos o governo vai usar para aprovar a indicação.

‘Sinal verde’ é motivo de orgulho, diz Eduardo Bolsonaro

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) afirmou, em nota, que o “sinal verde” do governo norte-americano para que ele assuma o cargo de embaixador é “motivo de orgulho”. Na quinta-feira, o governo dos Estados Unidos concedeu o agrément para que assuma a embaixada brasileira em Washington.

Na manhã desta sexta-feira, o presidente da República, Jair Bolsonaro, indicou que deve enviar o nome de Eduardo ao Congresso no início da semana que vem. “Pode ser segunda, terça”, disse à imprensa.

Eduardo Bolsonaro esteve pela manhã com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, em uma reunião privada no Itamaraty. Nenhum dos dois falou com a imprensa ao final do encontro. O filho do presidente afirmou que o agrément confirma o gesto de “apoio e a confiança já expressas” por Donald Trump, presidente dos EUA.

A indicação de Eduardo Bolsonaro ainda tem que passar pelo Senado. O parlamentar tem que ser sabatinado na Comissão de Relações Exteriores e depois ter seu nome submetido ao Plenário. Independente da aprovação ou rejeição na comissão, o plenário pode aprovar ou rejeitar a indicação.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora