Governador do MS pede suspensão da dívida de Estados e pagamento da Lei Kandir


O governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), fez uma série de pedidos nesta terça-feira, 24, ao presidente Jair Bolsonaro. Em reunião por videoconferência com a presença de demais governadores do Centro-Oeste, Azambuja pediu o alongamento de dívidas dos Estados, o pagamento de débitos da Lei Kandir e também o estímulo ao capital de giro por meio de fundo.

Bolsonaro e parte da cúpula de ministros se reuniram nesta terça-feira com governadores para debater as medidas do Executivo ante a pandemia do novo coronavírus e o auxílio aos Estados. Em vídeo divulgado em suas redes sociais, Azambuja relatou ter sugerido o alongamento das dívidas dos Estados por 12 meses. A intenção da medida, segundo ele, é “abrir um espaço fiscal de algumas concessões para as cadeias produtivas”.

Também para dar um “alívio fiscal” para as empresas, o governador sugeriu incentivo ao crédito por meio do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO). “Pedi ao presidente que através do FCO possa disponibilizar capital de giro com 12 meses de carência e 36 meses para pagar”, disse.

Assim como o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), Azambuja pediu ao governo repasses da Lei Kandir e medidas para compensar a perda da arrecadação do ICMS. “Pedimos um olhar para os Estados, principalmente do Centro-Oeste, que sobrevivem de sua receita de ICMS”, acrescentou.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora