22 de outubro de 2020 Atualizado 08:56

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Ataques

Em nota, Globo repudia campanha de intimidação a William Bonner

Jornalista recebeu mensagens com uma lista de endereços relacionados a ele e os números de CPFs da família

Por Agência Estado

26 Maio 2020 às 12:19 • Última atualização 26 Maio 2020 às 16:39

A Rede Globo publicou nota de repúdio a uma campanha de intimidação promovida contra o apresentador do Jornal Nacional, William Bonner. O jornalista vem sendo alvo de ataques desde que fraudadores usaram o CPF do filho dele para adicioná-lo ao programa de ajuda emergencial do governo.

Jornalista vem sendo alvo de ataques desde que fraudadores usaram o CPF do filho dele para adicioná-lo ao programa de ajuda emergencial do governo – Foto: João Cotta / Globo

De acordo com a emissora, tanto Bonner quanto a filha dele receberam por WhatsApp mensagens vindas de um número de Brasília, com uma lista de endereços relacionados a ele e os números de CPFs dele, de sua mulher, seus filhos, pai, mãe e irmãos.

“A Globo o apoiará para que os autores dessa divulgação de seus dados fiscais, protegidos pela Constituição, sejam encontrados e punidos. William Bonner é um dos mais respeitados jornalistas brasileiros e nenhuma campanha de intimidação o impedirá de continuar a fazer o seu trabalho correto e isento. Ele conta com o apoio integral da Globo e de seus colegas e está amparado pela Constituição e leis desse país”, diz a nota da emissora.

Em entrevista ao Estadão, o apresentador do Jornal Nacional se disse “reconfortado” pelo apoio da empresa e dos colegas e que vai acionar os meios legais para encontrar os culpados.

“O apoio da Globo e dos colegas são reconfortantes. O episódio de ontem foi uma clara intimidação. Quem quer fraudar não avisa, não manda mensagem como ameaça. Como a única coisa que faço na vida é ser jornalista, fica claro o propósito de intimidar. Não vão conseguir. Com o apoio da Globo e dos colegas, pelos meios legais, vamos encontrar os culpados para que sejam punidos”.

Publicidade