Cauê diz que vai barrar homenagem a Pinochet

Evento em homenagem ao ditador chileno foi proposto pelo deputado estadual Frederico d'Avila (PSL)


O presidente da Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo), o deputado estadual Cauê Macris (PSDB), afirmou que irá assinar ainda nesta quinta-feira (21) um ato para impedir um evento em homenagem ao ditador Augusto Pinochet, que governou o Chile entre 1973 e 1990.

A informação foi publicada no Twitter do tucano, que ainda disse que o ato será publicado no Diário Oficial do Estado na sexta-feira (22). A assessoria do deputado confirmou a informação.

A homenagem foi proposta pelo deputado estadual Frederico d’Avila (PSL). O ato solene em memória do ditador está marcado para ocorrer às 18h do dia 10 de dezembro. Para d’Avila, o ditador chileno “conduziu seu governo de forma brilhante, impedindo que o cenário ditatorial e violador de direitos humanos cubano e soviético da época se instalasse no seio da sociedade chilena”.

Para o deputado, “a visão comunista” não consegue entender “o bem que ele fez aquele país e à América Latina”.

A ditadura militar chilena, uma das mais sanguinárias do continente, levou 200 mil pessoas ao exílio, torturou milhares e deixou mais de três mil mortos, fora os desaparecidos.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora