15 de julho de 2024 Atualizado 11:54

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Política

Candidatos bolsonaristas lideram em 4 capitais contra 3 apadrinhados por Lula

Por Agência Estado

03 de julho de 2024, às 18h02

Quatro pré-candidatos que recebem o apoio do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) na disputa pelo comando das capitais lideram as intenções de voto conforme levantamentos mais recentes dos principais institutos de pesquisa do País. Os nomes apadrinhados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) estão à frente em outras três capitais.

Os pré-candidatos que têm o aval do ex-presidente disputam as prefeituras em Aracaju (SE), Belém (PA), Curitiba (PR) e Salvador (BA). Já os concorrentes que recebem o apoio de Lula lideram nas intenções de voto em Porto Alegre (RS), Recife (PE) e Rio de Janeiro (RJ). Somadas, as cidades onde os postulantes apoiados pelo petista são favoritos possuem sete milhões de eleitores. As que os apadrinhados de Bolsonaro estão na frente, totalizam 4,9 milhões.

Os dados fazem parte de levantamento feito pelo Estadão com base em pesquisas eleitorais mais recentes da Atlas Datafolha, Quaest, Paraná Pesquisas e Real Time/Big Data.

Na capital paulista, a última pesquisa Real Time Big Data, divulgada nesta segunda-feira, 1º, mostrou que o deputado federal Guilherme Boulos (PSOL), que é o pré-candidato de Lula, está empatado com prefeito Ricardo Nunes (MDB), apoiado por Bolsonaro. De acordo com o levantamento, que ouviu 1.500 eleitores paulistanos entre os dias 25 e 28 de junho, ambos tem 29% das intenções de voto.

O mesmo ocorre em Rio Branco (AC) onde, segundo levantamento do Real Time Big Data divulgado no início de abril, o ex-prefeito Marcus Alexandre (MDB), apoiado por Lula está empatado com o atual prefeito Tião Bocalom (PL), com 34% de menções. A margem de erro é de três pontos percentuais.

Em Fortaleza (CE), Campo Grande (MS) e Belo Horizonte (BH), os pré-candidatos do ex-presidente Bolsonaro estão à frente dos apoiados pelo petista, mas ambos não lideram as intenções de voto. Na capital cearense, o preferido é Capitão Wagner (União), na “Cidade Morena” é Rose Modesto (União Brasil) e em BH o líder é Mauro Tramonte (Republicanos).

Em Vitória (ES), nem o pré-candidato apoiado por Lula, o deputado estadual João Coser (PT), nem o afilhado de Bolsonaro, o também deputado estadual Capitão Assumção (PL), lideram na pesquisa mais recente. Divulgada há mais de um mês, em 22 de maio, o levantamento do Paraná Pesquisas apontou que o atual prefeito, Lorenzo Pazolini (Republicanos), segue à frente da disputa, com 47,1%. Em seguida, o pré-candidato do PT tem 17% e é seguido pelo deputado do PL, com 7,10% das intenções de voto.

Vinícius Alves, pesquisador da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e diretor da IPESPE Analítica, explica que as eleições municipais representam um quadro multifacetado, com características específicas de cada cidade. Pesam o contexto político local, se o apoio dos padrinhos veio precoce ou tardiamente, por exemplo, além de um possível histórico de votação mais à esquerda ou à direita.

Por estar relacionada ao contexto local, o voto na eleição municipal é permeado por fatores que escapam à polarização entre Lula e Bolsonaro. Ainda assim, em cada capital estadual, a preferência do eleitorado é diferente e pode distinguir o potencial de votos dos pré-candidatos avalizados ou pelo petista ou pelo ex-presidente.

No segundo turno da eleição presidencial de 2022, por exemplo, a capital mais bolsonarista do País foi Boa Vista (RR), onde 78% do eleitorado optou pela reeleição do então presidente. Por outro lado, a capital com o maior porcentual de votos a Lula naquela ocasião foi Salvador, onde 71% dos votos válidos foram direcionados ao petista.

Além das variáveis, o cientista político também pontua que o apoio de Lula e de Bolsonaro não tem a mesma “intensidade” em todas as cidades, ou seja, há locais em que é preciso medir a quantidade de rejeição que um ou outro tem, antes que os pré-candidatos e seus partidos decidam que a melhor estratégia é colar a imagem ao petista ou a Bolsonaro. “Os dois são capazes de atrair apoiadores, mas eles também atraem rejeição em considerável medida, portanto, se associar claramente a um deles no início da disputa, antes da fase de definição, pode ter algum custo”, indica.

Por serem cidades com maior proporção de pessoas engajadas ou mais ativas politicamente, ambiente proporcionado por organizações políticas mais estruturadas, as capitais tendem a ser locais onde a disputa nacional reverbera com mais peso. O cientista político avalia que a polarização pode ser uma estratégia instrumentalizada nessas grandes cidades para gerar ainda mais engajamento contra o adversário.

“Acredito que, em geral, existe um terreno mais favorável nas capitais de grandes cidades para tentar polarizar a disputa, de alguma maneira, emular isso, o que acontece no plano nacional. Mas não dá para achar que vai ser do mesmo jeito em todos os locais”, adverte.

O Estadão procurou os comandos do PT e do PL que são responsáveis pelas estratégias para as eleições deste ano, mas não obteve retorno.

Aracaju (SE)

A vereadora e ex-defensora pública Emília Corrêa, pré-candidata apoiada por Bolsonaro, lidera a disputa pela prefeitura de Aracaju (SE). O nome do PL aparece com 26% das intenções de voto, em uma liderança isolada para o pleito. Já a petista Candisse Carvalho (PT) tem apenas 1% das intenções de voto, de acordo com a pesquisa do Real Time Big Data, encomendada pela Record.

Os dados foram divulgados no dia 11 de junho. O Real Time Big Data ouviu mil pessoas entre 8 e 10 de junho de 2024. A pesquisa tem SE-02812/2024 com nível de confiança de 95% com margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Belém (PA)

Na capital paraense, o pré-candidato e deputado federal Éder Mauro (PL), apoiado por Jair Bolsonaro, detém vantagem ante o prefeito Edmilson Rodrigues, do PSOL. É o que aponta levantamento do Paraná Pesquisas divulgado em 15 de junho. Em um dos cenários estimulados, o deputado federal figura com 30% de menções, ante 13,4% do atual chefe do Executivo local.

O Paraná Pesquisas realizou 800 entrevistas em Belém entre os dias 9 e 14 de junho. O intervalo de confiança é de 95% e a margem de erro é de 3,5 pontos porcentuais. O levantamento está registrado no TSE sob o número PA-04749/2024.

Belo Horizonte (MG)

Em Belo Horizonte, tanto o PL quanto o PT devem ter candidatos próprios na disputa pela prefeitura. O pré-candidato petista é o deputado Rogério Correia que, de acordo a última pesquisa divulgada pela Real Time Big Data no dia 17 de junho, tem 9% das intenções de voto. O pré-candidato do partido de Bolsonaro é o deputado estadual Bruno Engler, que tem 14% da preferência dos eleitores. Os dois estão atrás do deputado estadual Mauro Tramonte (Republicanos), que lidera a corrida com 23%.

A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais e para menos. A equipe da Real Time Big Data entrevistou 1.000 eleitores entre os dias 14 e 16 de junho. O índice de confiabilidade é de 95% e o levantamento está registrado no TSE sob o número MG-00754/2024.

Campo Grande (MS)

Segundo levantamento do Paraná Pesquisas, a prefeita de Campo Grande, Adriane Lopes (PP), pré-candidata à reeleição apoiada pelo PL, sigla de Jair Bolsonaro, detém 14,4% de intenções de voto, figurando em terceiro lugar no principal cenário estimulado. Adriana está na frente da deputada federal Camila Jara (PT), apoiada por Lula, que tem 6,5% e está na quinta colocação.

Contudo, ambas estão atrás da ex-deputada federal Rose Modesto, com 19,5% de menções, e do ex-governador do Estado André Puccinelli (MDB), que lidera com 26,4% de intenções de voto. Por outro lado, o cenário está indefinido, pois Puccinelli desistiu da disputa desde a realização da pesquisa.

O Paraná Pesquisas realizou 800 entrevistas na capital do Mato Grosso do Sul entre os dias 19 e 24 de abril. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro é de 3,5 pontos porcentuais. O registro no TSE é o número MS-05358/2024.

Curitiba (PR)

O PT e o PL não vão encabeçar chapas em Curitiba. A sigla de Lula vai apoiar o deputado federal Luciano Ducci (PSB) que, segundo o último levantamento do Paraná Pesquisas, divulgado no último dia 14 de maio, tem 13,1% das intenções de voto. Já Jair Bolsonaro vai apoiar o candidato da situação, o vice-prefeito Eduardo Pimentel (PSD). Segundo a pesquisa, ele lidera a corrida com 22,9% da preferência dos eleitores no principal cenário estimulado.

A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais. O Paraná Pesquisas ouviu 800 eleitores entre os dias 8 e 13 de maio. O índice de confiabilidade é de 95% e o estudo está registrado no TSE sob o número PR-01291/2024.

Fortaleza (CE)

Na capital do Ceará, o candidato avalizado por Lula é o deputado federal Evandro Leitão (PT), que apareceu no último levantamento do Datafolha, divulgado nesta quinta-feira, 27, com 9% das intenções de voto. O candidato de Bolsonaro é o deputado federal André Fernandes (PL), que pontuou 12% no estudo. Ambos estão atrás do ex-deputado federal Capitão Wagner, que liderou o cenário estimulado com 33% de menções.

A margem de erro é de quatro pontos percentuais. O Datafolha ouviu 644 eleitores entre os dias 24 e 26 de junho. O índice de confiança é de 95% e o levantamento está registrado no TSE sob o número CE-01909/2024.

Manaus (AM)

Em Manaus, o candidato apoiado por Lula é o ex-deputado federal Marcelo Ramos, que recém se filiou ao PT e tem 8% das intenções de voto segundo a última pesquisa Quaest divulgada no dia 16 de maio. O candidato de Bolsonaro é o deputado federal Capitão Alberto Neto (PL), que tem 15% da preferência dos eleitores. Ambos estão atrás do atual prefeito David Almeida (Avante), que tem 30% e do deputado federal Amom Mandel (Cidadania), que tem 27%.

A margem de erro do levantamento é de 3,1 pontos percentuais. O Quaest entrevistou 1.002 eleitores manauaras entre os dias 8 e 11 de maio de 2024. O índice de confiança é de 95% e a pesquisa está registrada no TSE sob o número AM-07730/2024.

Porto Alegre (RS)

Segundo levantamento Atlas/Intel realizado com eleitores de Porto Alegre (RS), a deputada federal e pré-candidata Maria do Rosário (PT), apoiada por Lula, tem 30% de intenções de voto no principal cenário estimulado. Com o índice, ela figura na frente do prefeito Sebastião Melo (MDB), pré-candidato à reeleição apoiado por Jair Bolsonaro, que detém 25% de intenções de voto.

A pesquisa ouviu 1.798 eleitores porto-alegrenses entre os dias 9 e 14 de junho e tem margem de erro de dois pontos porcentuais, com índice de confiança de 95%. O registro no TSE é RS-09253/2024.

Salvador (BA)

Segundo levantamento Paraná Pesquisas divulgado em 4 de junho, o prefeito de Salvador (BA), Bruno Reis (União Brasil), pré-candidato apoiado por Jair Bolsonaro, é favorito a se reeleger, com 64% de intenções de voto. O mandatário está na frente de Geraldo Júnior (MDB), nome apoiado por Lula, que detém 11% de menções.

O Paraná Pesquisas realizou 800 entrevistas presenciais em Salvador entre os dias 29 de maio e 3 de junho. A margem de erro é de 3,5 pontos porcentuais e o índice de confiança é de 95%. O registro no TSE é BA-01943/2024.

São Paulo (SP)

Na segunda-feira, 1º, o Real Time Big Data divulgou um levantamento que evidenciou um empate entre o atual prefeito Ricardo Nunes (MDB), apoiado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro, e o deputado Guilherme Boulos (PSOL), apadrinhado por Lula. Ambos possuem 29% das intenções de voto do eleitorado paulistano.

A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou para menos. O Real Time Big Data realizou entrevistas com 1.500 eleitores paulistanos entre os dias 25 e 28 de junho e o índice de confiabilidade é de 95%. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número SP-06703/2024.

Recife (PE)

Em Recife, o atual prefeito João Campos (PSB) tentará a reeleição com o apoio do PT e do presidente Lula. A capital de Pernambuco é a cidade com o candidato apoiado pelo petista mais bem colocado entre todas as capitais. Caso a eleição fosse hoje, Campos seria eleito em primeiro turno com 57,3%, contra 21,4% do pré-candidato bolsonarista Gilson Machado (PL), ex-ministro do Turismo de Bolsonaro. É o que aponta levantamento do Atlas Intel/CNN divulgado em 26 de abril.

O Atlas/CNN ouviu 827 moradores de Recife, por meio de Recrutamento Digital Aleatório (Atlas RDR), entre os dias 18 e 23 de abril. A margem de erro do levantamento é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%. A pesquisa foi registrada no TSE sob o número PE-05351/2024.

Rio Branco (AC)

Na capital do Acre, a disputa pela Prefeitura de Rio Branco está tecnicamente empatada. Segundo pesquisa do RealTime, divulgada em 9 de abril, os candidatos Marcus Alexandre (MDB), apoiado pelo presidente, está com 39% das intenções de voto, ante 34% de Tião Bocalom (PL), pré-candidato de Bolsonaro e atual prefeito que tenta reeleição.

O instituto entrevistou 800 pessoas, entre 6 e 8 de abril. A pesquisa foi registrada no TSE sob o código AC-04245/2024 e tem nível de confiança de 95%.

Rio de Janeiro (RJ)

Uma pesquisa do instituto Quaest divulgada no último dia 18 de junho mostrou que o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), que tem o apoio de Lula, pode ser eleito ainda em primeiro turno, com 51% das intenções de voto. O pré-candidato de Bolsonaro, o deputado Alexandre Ramagem (PL) tem 11% da preferência dos eleitores.

A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou para menos. O Quaest fez entrevistas presenciais com 1.145 cariocas entre os dias 13 e 16 de junho. O índice de confiabilidade é de 95% e a pesquisa está registrada no TSE sob o número RJ-04459/2024.

Vitória (ES)

Em Vitória, capital do Espírito Santo, nem o pré-candidato apoiado por Lula, o deputado estadual João Coser (PT), nem o afilhado de Bolsonaro, o também deputado estadual Capitão Assumção (PL), lideram de acordo com a pesquisa mais recente. Divulgada há mais de um mês, em 22 de maio, o levantamento do Paraná Pesquisas apontou que o atual prefeito, Lorenzo Pazolini (Republicanos), segue à frente da disputa, com 47,1%. Em seguida, o pré-candidato do PT tem 17% e é seguido pelo deputado apoiado por Bolsonaro, com 7,10% das intenções de voto.

A pesquisa, registrada no TSE com o número ES-08077/2024, foi realizada entre os dias 17 a 22 de maio, entrevistou 800 pessoas e tem margem de erro de 3,5 p.p. para mais ou para menos.

Publicidade