25 de julho de 2021 Atualizado 12:01

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Política

Braga Netto chama ameaça contra eleição de ‘invenção’

Ministro nega que tenha enviado um recado de que não haveria eleições em 2022, se não houvesse voto impresso

Por Agência Estado

22 jul 2021 às 12:13 • Última atualização 22 jul 2021 às 14:52

Ao chegar ao Ministério da Defesa, Braga Netto limitou-se a dizer que se trata de uma “invenção” - Foto: Waldemir Barreto - Agência Senado

O ministro da Defesa, Walter Braga Netto, negou, na manhã desta quinta-feira, 22, que tenha enviado um recado, por meio de um importante interlocutor político, de que não haveria eleições em 2022, se não houvesse voto impresso, como cobra o presidente Jair Bolsonaro.

Ao chegar ao Ministério da Defesa, Braga Netto limitou-se a dizer que se trata de uma “invenção”. O chefe das Forças Armadas não deu nenhuma informação complementar. O Estadão mantém todas as informações publicadas.

Conforme aponta a reportagem, no dia 8 de julho, o presidente da Câmara, Arthur Lira (Progressistas-AL), recebeu o recado de um interlocutor de Braga Netto. O ministro pediu para comunicar, a quem interessasse, que não haveria eleições em 2022, se não houvesse voto impresso.

O presidente Jair Bolsonaro repetiu publicamente a ameaça de Braga Netto no mesmo 8 de julho. “Ou fazemos eleições limpas no Brasil ou não temos eleições”, afirmou Bolsonaro a apoiadores, naquela data, na entrada do Palácio da Alvorada.

Lira considerou o recado dado por Braga Netto como uma ameaça de golpe e procurou Bolsonaro. Teve uma longa conversa com ele, no Palácio da Alvorada. De acordo com relatos obtidos pelo Estadão, o presidente da Câmara disse ao chefe do Executivo que não contasse com ele para qualquer ato de ruptura institucional.

Nesta quarta-feira, a #BragaNetto esteve entre as mais comentados no Twitter e o ministro foi alvo de parlamentares que cobraram explicações sobre a suposta ameaça.

Desde segunda-feira, 19, o Estadão vinha procurando o Ministério da Defesa para comentar o assunto, mas não obteve respostas aos questionamentos.

Publicidade