26 de novembro de 2020 Atualizado 23:26

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Política

Bolsonaro diz em live que ‘todo mundo ganha’ com Ramagem na direção-geral da PF

Por Agência Estado

30 abr 2020 às 20:15 • Última atualização 30 abr 2020 às 21:27

O presidente Jair Bolsonaro fez um apelo ao Supremo Tribunal Federal (STF), em especial ao ministro Alexandre de Moraes, para que seja revista a liminar que impediu Alexandre Ramagem de tomar posse como diretor-geral da Polícia Federal. O pedido do presidente foi feito nesta quinta-feira, 30, durante live de Facebook.

“Não é por mim, é pela vida pregressa desse homem, pelo seu passado, por tudo aquilo que ele fez pela pátria. Que revejam essa decisão para que ele possa assumir. A relação de amizade de Ramagem com o presidente Bolsonaro é porque ele foi considerado a pessoa mais preparada para fazer a segurança do presidente da República. O crime dele, o errado dele, é por ter participado da minha segurança, é a proximidade para comigo. Eu tenho certeza que com esse currículo, o delegado Ramagem vai fazer com que, à frente da Polícia Federal, ela tenha mais liberdade ainda”, argumentou Bolsonaro, depois de exposição pormenorizada da carreira de Ramagem, que inclui passagem pela superintendência da PF no Ceará e pela equipe da operação Lava Jato no Rio de Janeiro, o que tornaria Ramagem “um homem afeito ao combate à corrupção”.

A posse do delegado, antes no comando na Agência Brasileira de Inteligência (Abin), foi impedida depois que o ministro Alexandre de Moraes considerou que a nomeação feria o princípio da impessoalidade, uma vez que Ramagem é próximo do presidente Bolsonaro e de sua família.

Repercutindo falas anteriores sobre o assunto, Bolsonaro disse na live que havia feito “um desabafo hoje de manhã” e que não havia “ofendido ninguém”. Para o presidente, eventual posse de Ramagem como diretor-geral da PF traria ganhos generalizados. “Pensando no Ramagem, que essa decisão seja revista o mais breve possível”, pediu o presidente.

Publicidade