A poucos dias da posse de Bolsonaro, Planalto passa por limpeza e reparos

A quinta-feira, 27, foi dia de faxina na rampa do Palácio do Planalto para a posse do presidente eleito Jair…


A quinta-feira, 27, foi dia de faxina na rampa do Palácio do Planalto para a posse do presidente eleito Jair Bolsonaro. Com o apoio de dois andaimes e um pequeno trator, funcionários se dedicaram durante o dia à limpeza do edifício, além de pequenos reparos e da colocação de grades para reforçar a segurança.

Do lado de dentro, o Salão Nobre, o principal do Planalto que fica no segundo andar, já está pronto com as cadeiras para os convidados já enfileiradas para a cerimônia do próximo dia primeiro de janeiro.

O mezanino, que fica bem acima, também já está pronto com cadeiras e telões especiais para os convidados. Assessores de Bolsonaro e o grupo de segurança, que participam da organização, acertaram pela manhã o melhor posicionamento das câmeras para a transmissão da posse de dentro do Palácio.

Segundo Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, 400 pessoas podem se acomodar no Salão Nobre, de onde se tem a melhor vista da cerimônia e ficam os principais convidados, futuros ministros e familiares. É lá que Bolsonaro assinará o termo de posse dos 22 novos ministros.

A limitação é de mil pessoas no térreo e entre 120 a 160 no mezanino do Palácio, localizado no terceiro andar. Por questões de segurança, o GSI vetou a colocação de uma câmera de filmagem no topo do Supremo Tribunal Federal (STF), que fica na Praça dos Três Poderes e de onde se tem uma das imagens mais amplas de toda a posse. O STF chegou a liberar o acesso, mas a segurança de Bolsonaro vetou depois.

Mudança

Oficialmente, na sexta-feira, será o último dia em que Michel Temer despachará como Presidente da República do Palácio do Planalto. Ele deve trabalhar no edifício pela manhã e, no período da tarde, viajará a São Paulo. Temer vai passar o final de semana e a virada do ano com a família na capital paulista.

A primeira dama, Marcela, e o filho, Michel, já deixaram o Palácio do Jaburu, onde moravam e terminaram a mudança esta semana.

Com a saída de Temer, o Jaburu estará livre para o seu próximo morador, o vice-presidente eleito, Hamilton Mourão, que planeja dormir na residência no dia 1º de janeiro.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora