Trump fará cúpula do G-7 em seu hotel


O presidente Donald Trump receberá a cúpula do G-7, em 2020, em um dos seus resorts de golfe, o Trump Doral, em Miami. O anúncio foi feito ontem pelo chefe de gabinete da Casa Branca, Mick Mulvaney. A ideia foi do próprio Trump e provocou críticas e questionamentos sobre conflitos de interesse.

A decisão não tem precedentes na história moderna americana: o presidente usar o cargo para fazer um contrato gigantesco com ele mesmo. A cúpula do G-7 atrai centenas de diplomatas, jornalistas e seguranças. Mulvaney disse ontem que o governo não está preocupado com o “aparente” conflito de interesse. “Doral foi de longe a melhor instalação física para essa cúpula”, disse. O chefe de gabinete explicou que a Casa Branca examinou dez locais antes de escolher a propriedade de Trump, sem especificar quais hotéis foram examinados.

A ideia de fazer a cúpula no resort, segundo Mulvaney, partiu do próprio presidente. A cúpula do G-7 se alterna entre os sete membros do grupo. A última vez em que ocorreu nos EUA, em 2012, o então presidente Barack Obama recebeu os líderes na residência oficial de Camp David.

Este ano, Trump disse várias vezes que queria premiar a si mesmo com o evento. O resort fica perto do aeroporto de Miami. O local propiciava mais lucro do que qualquer outro hotel ou clube de golfe do presidente, que fez um empréstimo de US$ 125 milhões para comprá-lo. Mas, nos últimos anos, a rentabilidade da propriedade entrou em declínio. O lucro caiu 70% desde que ele assumiu a presidência.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora