19 de abril de 2021 Atualizado 15:25

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Covid-19

Relatório da OMS aponta que animais são provável fonte da Covid-19

Pesquisa conclui que a hipótese de que o vírus surgiu de um vazamento de um laboratório é "extremamente improvável"

Por Agência Estado

29 mar 2021 às 11:24 • Última atualização 29 mar 2021 às 13:10

Um estudo realizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em conjunto com a China, sobre as origens da Covid-19, conclui que o cenário mais provável é que o coronavírus foi transmitido de morcegos para humanos através de um outro animal e que a hipótese de vazamento de um laboratório é “extremamente improvável”, segundo um esboço do documento obtido pela Associated Press.

A descoberta não avança muito na origem do vírus e deixa questões em aberto. O relatório, porém, traz mais detalhes sobre o raciocínio por trás das conclusões dos pesquisadores. A equipe propôs mais investigações sobre o assunto, exceto sobre a hipótese de vazamento.

O documento, que deverá ser publicado nesta terça-feira, 30, está sendo acompanhado de perto, uma vez que identificar a origem do vírus poderá ajudar cientistas a prevenir pandemias futuras. Mas a questão é também extremamente delicada, visto que a China se recusa a aceitar que seja culpada pela pandemia atual.

Seguidos adiamentos do estudo levantaram dúvidas sobre se os chineses estariam tentando enviesar as conclusões. “Temos sólidas preocupações sobre a metodologia e o processo do relatório, incluindo o fato de que o governo (chinês) aparentemente ajudou a escrevê-lo”, disse o Secretário de Estados dos EUA, Antony Blinken, em recente entrevista à CNN. Pequim rejeitou a crítica nesta segunda-feira.

“Os EUA têm se manifestado sobre o relatório. Ao fazer isso, os EUA não estariam tentando exercer pressão política sobre os integrantes do grupo de especialistas da OMS?”, questionou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Zhao Lijian.

O relatório se baseia numa visita de especialistas da OMS a Wuhan, cidade chinesa onde a covid-19 foi inicialmente detectada, entre meados de janeiro e meados de fevereiro. Fonte: Associated Press.

Publicidade