27 de outubro de 2020 Atualizado 18:10

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Mundo

Presidente do Irã rejeita tentativa dos Estados Unidos de restabelecer sanções

Por Agência Estado

21 set 2020 às 03:13 • Última atualização 21 set 2020 às 09:01

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, condenou a declaração dada no sábado pelo secretário de Estado americano, Mike Pompeo de que todas as sanções das Organização das Nações Unidas (ONU) contra o Irã foram restabelecidas porque o país violou seus compromissos do pacto nuclear. “Se os Estados Unidos recorrerem à intimidação … e agirem na prática, terão que enfrentar uma reação decisiva de nossa parte”, disse Rouhani durante uma reunião de gabinete, na noite de domingo.

Rouhani afirmou que, se os demais signatários do acordo cumprirem integralmente suas obrigações sob o acordo, o Irã reverterá seu afastamento do pacto. Para o Irã poder vender seu petróleo sem obstáculos continua sendo sua principal preocupação.

A ação dos Estados Unidos de restabelecer sanções foi rejeitada e considerada ilegal por dos países integrantes da organização, e abre um cenário complicado no organismo mundial, às vésperas das reuniões da Assembleia Geral, que serão realizadas nesta semana.

Mesmo antes da declaração dos EUA, membros do Conselho de Segurança disseram que a ignorariam. Eles observaram que os Estados Unidos perderam a legitimidade para invocar a reimposição imediata das sanções por meio do mecanismo conhecido como “snapback” quando o presidente Donald Trump retirou-se do acordo nuclear em 2018 e começou a restabelecer as sanções americanas contra o Irã.

Em comunicado conjunto, França, Alemanha e Inglaterra reiteraram que refutam os argumentos jurídicos do governo Trump em sua tentativa de reativar o mecanismo de “snapback” devido à saída dos Estados Unidos do acordo nuclear.

A Casa Branca planeja emitir uma ordem executiva nesta segunda-feira explicando como o país aplicará as sanções restauradas. Os departamentos de Estado e do Tesouro dos EUA devem delinear como indivíduos e empresas estrangeiras serão penalizados por violações.

Com a repercussão da declaração da administração Trump, o rial, moeda do Irã, recuou ao nível mais baixo de sua história ontem. Em casas de câmbio de Teerã, o rial caiu para 272.500 por dólar norte-americano. O rial perdeu mais de 30% de seu valor em relação ao dólar desde junho, em reação aos efeitos das sanções dos EUA contra o país, que reduzem sua capacidade de vender petróleo globalmente. Em 2015, na época do acordo nuclear de Teerã com potências mundiais, assinado pelo governo do ex-presidente Barack Obama, a moeda era cotada a 32.000 riais por dólar. Fonte: Associated Press.

Publicidade