Ministro alemão rejeita sugestão de que R. Unido deve ser “difícil” no Brexit

O ministro de Assuntos Europeus da Alemanha, Michael Roth, criticou o legislador britânico Jacob Rees-Mogg por sugerir que o Reino…


O ministro de Assuntos Europeus da Alemanha, Michael Roth, criticou o legislador britânico Jacob Rees-Mogg por sugerir que o Reino Unido deveria tentar ser “difícil” na negociação sobre o Brexit se não puder deixar a União Europeia em breve. Roth disse que a ideia publicada no Twitter por Rees-Mogg, defensor do Brexit, está “fora de ordem”.

Em entrevista ao Frankfurter Allgemeine Sonntagszeitung, publicada no domingo, Roth pediu a Rees-Mogg e outros membros do Partido Conservador no Parlamento que adotem uma “abordagem construtiva” para o Brexit. Rees-Mogg havia dito no Twitter que “se estamos presos, devemos usar os poderes remanescentes que temos para sermos difíceis”. “A cooperação sincera até agora parece ser uma via de mão única”, escreveu.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, está pedindo aos demais líderes da UE para adiar o prazo final para o Brexit até 30 de junho. Roth diz que o atraso só é possível se May conseguir que o Parlamento aprove o acordo com Bruxelas para saída do Reino Unido da UE. O Reino Unido originalmente se retiraria da UE em 29 de março. Os outros países do bloco concordaram em adiar condicionalmente a data de saída para 12 de abril.

No Reino Unido, conservadores pró-Brexit protestaram contra a decisão da primeira-ministra de buscar a ajuda da oposição para aprovar um acordo sobre o Brexit. May reconheceu no sábado que, apesar de seus esforços para convencer os parlamentares a apoiarem o acordo de saída do Reino Unido da União Europeia, “não há sinal de que isso possa ser aprovado em um futuro próximo”. Ela disse que não havia escolha senão apelar à oposição, o Partido Trabalhista. Caso contrário, o Brexit poderia “deslizar entre os dedos” a menos que uma alternativa possa ser alcançada com legisladores trabalhistas.

Rees-Mogg criticou a decisão de May de incluir os trabalhistas nas negociações do Brexit e a culpou por ainda não ter tirado o Reino Unido da UE. Três dias de negociações entre partidos até agora terminaram sem acordo. Fonte: Associated Press.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora