13 de agosto de 2020 Atualizado 22:06

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Mundo

Mike Pompeo diz que Europa deveria apoiar ataque contra general iraniano

Por Agência Estado

04 jan 2020 às 20:34 • Última atualização 05 jan 2020 às 08:45

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, demonstrou desapontamento com os aliados europeus depois que eles expressaram a preocupação de que o assassinato do general iraniano Qassim Soleimani poderia desencadear mais violência.

Pompeo conversou por telefone com aliados europeus, China, Rússia, além de parceiros regionais como o Paquistão. De acordo com funcionários do Departamento de Estado e leituras oficiais das ligações, Pompeo disse aos oficiais dos países que o ataque foi conduzido para evitar mais violência.

Em entrevista televisionada, Pompeo afirmou que Reino Unido, França e Alemanha deveriam apoiar os Estados Unidos já que, segundo sua avaliação, o assassinato do general beneficiou a Europa.

“Os britânicos, franceses e alemães precisam entender que o que fizemos, o que os americanos fizeram, salvou vidas na Europa também”, disse Pompeo na Fox News na sexta-feira (3).

Países europeus demonstraram preocupação com o ataque, uma vez que o Irã e alguns de seus representantes prometeram vingar a morte do general. “Isso foi uma coisa boa para o mundo inteiro, e estamos pedindo a todos que apoiem o que os Estados Unidos estão tentando fazer”, disse Pompeo.

As recriminações mútuas sugerem que os aliados – alguns deles com tropas no Oriente Médio – podem não ter sido consultados antes do ataque ou, se foram, tiveram suas opiniões ignoradas.

As primeiras ligações de Pompeo após o ataque foram feitas para oficiais na China, Reino Unido, França e Alemanha, segundo o Departamento de Estado. Ele também falou com parceiros regionais, incluindo Afeganistão, Paquistão e Emirados Árabes Unidos. Mais tarde, Pompeo conversou com a Turquia e a Rússia. Fonte: Dow Jones Newswires.