29 de junho de 2022 Atualizado 18:57

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Mundo

McDonald’s venderá negócios russos e deixará país, em reação à guerra na Ucrânia

Por Agência Estado

16 de maio de 2022, às 09h08 • Última atualização em 16 de maio de 2022, às 09h50

Três décadas após entrar na Rússia como um símbolo do capitalismo nos escombros da União Soviética, o McDonald’s anunciou, nesta segunda-feira, 16, que iniciará o processo de saída do país com a venda dos negócios locais. Segundo comunicado, a medida é uma resposta à “crise humanitária” decorrente da invasão russa da Ucrânia.

A empresa espera incorrer em encargo entre US$ 1,2 bilhão e US$ 1,4 bilhão com os planos de desinvestimento. A rede americana venderá todas as filiais russas de seus restaurantes a um comprador local, embora pretenda manter a posse da marca comercial no país. A prioridade é assegurar que os 62 mil empregados continuem sendo pagos até o fim da eventual transação e que consigam posições no futuro, de acordo com a nota.

Em março, poucas semanas após o início da ofensiva russa na Ucrânia, o McDonald’s havia anunciado que fecharia temporariamente as mais de 800 lojas na Rússia. A decisão acompanhou um êxodo de empresas ocidentais do país, à medida que Estados Unidos e aliados adotaram uma série de sanções contra Moscou.

O CEO da companhia, Chris Kempczinski, afirmou que a decisão é difícil, mas inevitável. “Temos um compromisso com nossa comunidade global e devemos permanecer firmes em nossos valores. E nosso compromisso com nossos valores significa que não podemos mais manter os Arcos brilhando lá”, disse, em referência aos arcos que são a marca registrada da multinacional.

Em Wall Street, a reação à notícia foi limitada. Por volta das 8h (de Brasília), a ação do McDonald’s subia 0,35% no pré-mercado da Bolsa de Nova York.

Publicidade