21 de janeiro de 2021 Atualizado 19:45

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Mundo

Líderes mundiais repercutem certificação da vitória de Biden e violência nos EUA

Por Agência Estado

07 jan 2021 às 08:42 • Última atualização 07 jan 2021 às 10:41

Líderes políticos de todo o mundo repercutiram a certificação de Joe Biden como presidente eleito dos Estados Unidos e as cenas de violência em meio a sessão oficialização do pleito na sede do Congresso americano, que chegou a ser invadida por apoiadores do atual chefe da Casa Branca, Donald Trump.

A repórteres, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, caracterizou a formalização do resultado como um triunfo das forças democráticas. “Infelizmente, o presidente Trump não aceitou sua derrota desde novembro, nem mesmo ontem, e isso naturalmente criou um ambiente que permitiu tais eventos violentos”, comentou.

Pelo Twitter, o primeiro-ministro da Itália, Guiseppe Conte, disse estar preparado para trabalhar com Biden para “promover uma agenda global voltada ao crescimento, sustentabilidade e inclusão”.

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, afirmou que o país está preocupado com os “ataques à democracia” em seu “aliado mais próximo”. “A violência nunca irá ser bem-sucedida em invalidar o desejo do povo. A democracia nos EUA precisa ser respeita – e será”, escreveu, também em redes sociais.

Já o premiê britânico, Boris Johnson, classificou como “vergonhosos” os protestos violentos em Washington. “Os EUA defendem a democracia ao redor do mundo e, agora, é vital que ocorra uma ordeira e pacífica transição de poder”, destacou.

A primeira-ministra da Noruega, Erna Solberg, responsabilizou Trump pela situação. “O que estamos vendo em Washington é um completamente inaceitável ataque à democracia dos EUA. O presidente Trump tem que ser responsável para parar isso. Imagens assustadoras”, comentou.

Publicidade