24 de Maio de 2020 Atualizado 12:06

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Mundo

EUA: Democratas buscam concluir nova proposta de ajuda nesta semana

Por Agência Estado

10 Maio 2020 às 11:29 • Última atualização 10 Maio 2020 às 14:52

Os Democratas da Câmara dos Representantes estão buscando concluir a sua próxima proposta de ajuda contra o novo coronavírus nesta semana, mas as conversas com a Casa Branca e o Senado controlado pelos Republicanos estão congeladas devido a divergências sobre o ritmo e o conteúdo do próximo pacote.

Democratas defendem novos gastos urgentes, além dos cerca de US$ 3 trilhões alocados até agora para empresas, famílias, Estados e cidades, entre outros. Mas alguns republicanos e o presidente dos EUA, Donald Trump, acreditam que os legisladores devem adotar uma postura de esperar para ver antes de novos pagamentos e priorizar outras políticas para proteger empresas que mantiveram operações durante a pandemia. As reuniões bipartidárias, que levaram à aprovação de projetos de lei anteriores, estão em pausa. Larry Kudlow, um dos principais assessores econômicos de Trump, disse na sexta-feira que as negociações formais sobre o próximo pacote de ajuda contra o novo coronavírus não serão retomadas até o fim de maio ou início de junho.

A presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi (Democratas, Califórnia), está reunindo propostas da Câmara e pode divulgar um rascunho já nesta semana. Espera-se que o projeto inclua mais de US$ 750 bilhões em ajuda aos governos estaduais e locais, bem como apoio direto aos norte-americanos, segundo legisladores e assessores. Pelosi disse que os democratas se concentrarão em ideias que possam obter apoio dos Republicanos. “Vamos colocar um marcador que segue a liderança de outra legislação bipartidária que foi aprovada, com aumento de financiamento, porque não fizemos testes (do novo coronavírus) suficientes”, disse Pelosi na C-SPAN na sexta-feira.

Republicanos da Câmara dizem ter sido amplamente deixados de fora das negociações e pediram que Pelosi volte a reunir a Câmara para iniciar o debate sobre um projeto. Ela se recusou a trazer parlamentares de volta a Washington, exceto para votações cruciais, citando preocupações com a saúde durante a pandemia. “Ainda não fomos convidados para essas discussões”, disse o deputado republicano Greg Walden, principal republicano do Comitê de Energia e Comércio, em teleconferência na sexta-feira.

Alguns legisladores duvidam que a Câmara volte para votar outro pacote. Mesmo se a Câmara aprovar legislação, os líderes Democratas não estão atualmente em negociações com o Senado, controlado pelo Partido Republicano, onde o líder da maioria Mitch McConnell (Republicanos, Kentucky) pediu uma pausa em novas ajudas e evitou a ideia de mais dinheiro para Estados e cidades. Na próxima rodada de negociações, ele está priorizando um escudo de responsabilidade para as empresas que operaram durante a pandemia, afirmando que os republicanos devem ter uma “linha vermelha” obrigatória.

Outros Republicanos do Senado estão ansiosos para avançar na legislação e não ceder à agenda de Pelosi, de acordo com um assessor do Partido Republicano. O Senado realizará nesta semana várias audiências de comissões relacionadas à pandemia, com foco no acesso à banda larga, proteção de responsabilidade e supervisão. Anthony Fauci, membro da força-tarefa de Trump e diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, dará depoimento na Casa na terça-feira.

Enviar mais dinheiro a Estados e municípios é essencial na legislação futura para os Democratas, mas não é uma medida apoiada por muitos Republicanos de destaque, incluindo Trump. A questão também está dividida geograficamente, com legisladores em áreas atingidas de ambos os partidos se esforçando para ajudar seus Estados, cidades e localidades que perderam receita e gastaram dinheiro combatendo o vírus. Fonte: Dow Jones Newswires.