25 de setembro de 2020 Atualizado 22:01

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Mundo

Bielo-Rússia: boca de urna aponta vitória de Lukashenko em eleição presidencial

Por Agência Estado

09 ago 2020 às 18:32 • Última atualização 09 ago 2020 às 19:08

Pesquisas de boca de urna publicadas pela comissão eleitoral da Bielo-Rússia indicam que o veterano líder Alexander Lukashenko, de 65 anos, conquistaria o sexto mandato na presidência do país. Svetlana Tikhanovskaya, a esposa de 37 anos do popular YouTuber Sergei Tikhanovsky, que planejava contestar a eleição antes de ser detido em maio por supostamente incitar distúrbios, recebeu 7% dos votos, segundo as pesquisas. O comparecimento às urnas foi de 79%. Os resultados do pleito devem ser divulgados na segunda-feira.

As tensões estão aumentando no país. Lukashenko ameaçou reprimir qualquer protesto, e ao menos oito integrantes da campanha de Tsikhanouskaya foram presos. Lukashenko acusa a Rússia, seu aliado de longa data, de tentar fomentar uma revolta depois que as forças de segurança bielo-russas prenderam 33 cidadãos russos por supostamente conspirarem para incitar tumultos para desestabilizar a Bielo-Rússia. Moscou nega qualquer envolvimento.

Mesmo antes dos locais de votação na Bielo-Rússia terem fechado, a chefe da comissão eleitoral do país, Lidia Yermoshina, havia declarado que
resultados fragmentários mostravam Lukashenko à frente da disputa. Segundo ela, Lukashenko teve 82% dos votos em hospitais e sanatórios em cinco regiões. Segundo o anúncio, Sviatlana Tsikhanouskaya tinha cerca de 7% dos votos nesses locais. A chefe da comissão eleitoral não especificou quanto esses votos representavam do total do eleitorado.

A eleição presidencial opôs Lukashenko, que detém o controle do país desde 1994, a quatro outros candidatos, e gerou os maiores protestos da oposição em anos. Opositores suspeitam que autoridades eleitorais podem manipular os resultados da votação para dar a Lukashenko o sexto mandato. Protestos anti-governo eram esperados para este domingo.

A participação eleitoral foi tão alta que alguns locais de votação em Minsk tiveram que superar o horário de fechamento, planejado para as 20h (horário local), para acomodar os eleitores que ficaram esperando em longas filas, disse Yermoshina.

Fontes: Associated Press e Dow Jones Newswires.

Publicidade