26 de setembro de 2020 Atualizado 21:18

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Promoções

Vantagens para comprar produtos na Blackfriday

Evento que ocorre sempre na última sexta-feira do mês, desta vez será no dia 29

Por Agência Estado

17 nov 2019 às 08:43 • Última atualização 27 abr 2020 às 10:20

Novembro acabou se transformando em um mês de gastos com as promoções trazidas pela blackfriday. Evento que ocorre sempre na última sexta-feira do mês, desta vez será no dia 29. É uma forma de o comércio abocanhar parte do dinheiro extra que entra no bolso do consumidor com o pagamento da primeira parcela do 13º, oferecendo ofertas na antecipação de compras de Natal.

Mas quem acompanha o evento há alguns anos já sabe que o ideal é fazer o acompanhamento dos preços dos produtos ou serviços pretendidos com bastante antecedência, de modo a identificar se os descontos são reais ou se tudo não passa de manobras contábeis. O site de busca e comparação de preços JaCotei identificou uma elevação média de 5,7% nos preços dos produtos mais procurados nessa época, indicando esse tipo de movimento, no período de 29 de setembro a 29 de outubro.

Foto: Divulgação
Blackfriday 2019 será no dia 29 de novembro

Os smartphones ficaram 5,4% mais caros; micro-ondas, 11%; fraldas, 9,7%; lavadora de roupa, 9,2%; impressora 8,2%. Nada justifica uma remarcação de preços nesses níveis, uma vez que a inflação está rodando em níveis bem próximos de zero. O site vai auxiliar os consumidores a identificar as promoções reais durante a sexta-feira, dia 29, mostrando o preço desses produtos nos últimos seis meses.

O Procon de São Paulo elaborou um roteiro com as principais dicas. A primeira delas é que o consumidor faça uma lista do produto ou serviço que precisa ou deseja e estipule um limite de gasto, evitando assim gastar mais do que o previsto. Importante também fazer uma pesquisa de preços por meio de aplicativos e sites de comparação de preços. Se for para se endividar é melhor não comprar, lembrando que o parcelamento também uma forma de dívida.

A segunda é para observar o prazo de entrega e informar-se antecipadamente sobre a política de troca da empresa. Essas são atitudes que ajudam a evitar problemas depois

SEGURANÇA

Em relação à segurança das compras online, o consumidor deve evitar clicar em links e ofertas recebidas por e-mail ou redes sociais, fazendo sempre a consulta da página oficial da loja, de preferência digitando o endereço do site. Após escolher o produto ou serviço, é preciso verificar se o preço será alterado no carrinho virtual ou se o valor do frete é muito mais alto que o habitual.

O diretor do e-commerce Dassi Boutique reforça que não é raro o surgimento de lojas que nunca se ouviu falar oferecendo superdescontos e ótimos preços, sobretudo de eletrônicos e celulares. No entanto, não passam de fachas e o consumidor paga, mas nunca recebe o produto.

Uma dica simples do diretor, mas que poderá ser útil, refere-se o endereço da loja online tem a letra “S” no http no início. Essa letra é a certificação de que a conexão entre o site e o aparelho do consumidor (smartplhone, tablete, computador) é segura. Vale observar também se há um cadeado verde, que é uma camada a mais de segurança.

Nas lojas físicas, segundo o Procon, os produtos expostos nas vitrines devem apresentar o preço à vista e, se vendidos a prazo, o total a prazo, as taxas de juros mensal e anual, bem como o valor e número das parcelas.

Qualquer produto, nacional ou importado, deve apresentar informações corretas, claras e em língua portuguesa sobre suas características, qualidade, quantidade, composição, preço, garantia, prazo de validade, origem, além dos riscos que possam apresentar à saúde e segurança dos consumidores.

De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, em compras feitas fora do estabelecimento, o consumidor tem 7 (sete) dias para “se arrepender”, cancelar a compra, devolver o produto e pedir o dinheiro de volta (o prazo passa a contar da data da compra ou da entrega do produto).

Publicidade