27 de Maio de 2020 Atualizado 17:14

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

13º Salário

Valor que o aposentado vai receber

A primeira parcela do 13º deve chegar ao aposentado e pensionista do INSS dentro do mesmo calendário de pagamento do benefício de março

Por Da Redação

24 mar 2020 às 08:52 • Última atualização 27 abr 2020 às 10:14

Para tentar amenizar os reflexos da pandemia do coronavírus na economia, o governo anunciou a antecipação do pagamento da primeira parcela do 13º dos aposentados. O valor extra, que normalmente chega com o benefício de agosto, virá este ano com o de março.

A ideia é injetar os recursos de modo a estimular o consumo e, por tabela, a produção, em um momento que as economias estão murchando em países já duramente afetados pelo vírus, como China e Itália. Sem a contrapartida dos parceiros comerciais internacionais, a tentativa é de contar com o aquecimento do mercado doméstico.

Foto: Divulgação
O aposentado precisa ter pés no chão e não sair gastando simplesmente porque o dinheiro chegará mais cedo ao bolso

No entanto, o aposentado precisa ter pés no chão e não sair gastando simplesmente porque o dinheiro chegará mais cedo ao bolso. Afinal, em agosto não será possível contar com essa renda do abono natalino.

O ideal seria fazer uma reserva financeira com esses recursos para atravessar esses próximos meses, que ninguém sabe como serão, mas que inegavelmente serão complicados em termos financeiros para todo o País, porque a evolução da doença deverá impor redução da atividade econômica.

Evidentemente que se trata de uma opção que deve ser considerada pelos que se encontram na estabilidade financeira, empatando o que recebe com o que gasta. As aplicações de renda fixa como CDBs, ou títulos do Tesouro e até mesmo a caderneta de poupança, são as opções mais apropriadas para aplicar essa reserva, porque estará fora e livre das turbulências que a renda variável está enfrentando.

No entanto, quem estiver endividado pagando juros salgados no cartão de crédito ou cheque especial, usar o dinheiro para liquidar a dívida ou parte dela é também uma boa opção.

As compras de algo necessário ou desejado devem ser feitas de forma consciente, sempre com a avaliação se elas podem ser adiadas. Isso porque ter um dinheiro extra ao longo deste ano pode garantir noites de sono para muita gente.

O fato é que o segurado deve parar e pensar com cautela qual o melhor destino a ser dado a esses recursos diante desse quadro de muitas incertezas.

PAGAMENTO

A primeira parcela do 13º deve chegar ao aposentado e pensionista do INSS dentro do mesmo calendário de pagamento do benefício de março, que vai do dia 25 de março ao dia 7 de abril, sempre de acordo com o número final do benefício, desconsiderando o dígito.

Tudo ainda depende de uma portaria da Previdência Social, mas os que ganham pelo piso devem receber um total de R$ 1.567,50, que corresponde ao salário mínimo atual de R$ 1 045,00 mais 50% (R$ 522,50).

Já para os demais, os que ganham acima do piso, o total a ser recebido será equivalente ao valor atual do benefício (o que foi reajustado por 4,48% em janeiro) mais 50%. Não há desconto do imposto de renda sobre essa parcela. Regina Pitoscia_Agência Estado

Prova de vida está suspensa

Para tentar evitar a contaminação dos idosos pelo coronavírus, a Previdência Social suspendeu por 120 dias a necessidade de os segurados realizarem a prova de vida. A cada 12 meses, o aposentado ou pensionista tem de comparecer à agência bancária em que recebe o benefício com um documento de identidade com foto para provar que está vivo. Assim, as declarações que estiverem vencendo dentro desse período poderão ser feitas depois.

Caso não haja renovação, o pagamento do benefício é bloqueado, e depois de seis meses, cessado.

Como fazem parte do grupo de risco, os idosos precisam evitar aglomerações e locais fechados, como agências bancárias ou agências do INSS. Por isso, outras medidas devem ser anunciadas pelo INSS nestes próximos dias no sentido de restringir a obrigação de deslocamento dos segurados a esses locais. Em algumas regiões do País, como São Paulo e Mato Grosso, já estão suspensas também as perícias médicas.