20 de setembro de 2020 Atualizado 20:44

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Telefonia

Telefônica, Tim e Claro fazem oferta vinculante por serviços móveis da Oi

A operação inclui a totalidade dos ativos que constituem a “UPI de Ativos Móveis” da Oi, que está em recuperação judicial

Por Agência Estado

18 jul 2020 às 09:04 • Última atualização 18 jul 2020 às 10:34

Telefônica Brasil, Tim e a Claro informam que apresentaram oferta vinculante em conjunto para aquisição do negócio móvel do Grupo Oi. O valor da oferta não foi informado. A operação inclui a totalidade dos ativos que constituem a “UPI de Ativos Móveis”, o que inclui termos de autorização de uso de radiofrequência; base de clientes do Serviço Móvel Pessoal; direito de uso de espaço em imóveis e torres; elementos de rede móvel de acesso ou de núcleo; e sistemas/plataformas.

Segundo as empresas, a oferta vinculante foi submetida à apreciação da Oi, em recuperação judicial, após a análise de dados e informações disponibilizadas a respeito do negócio a ser adquirido, e está sujeita a determinadas condições, especialmente a seleção das ofertantes como “stalking horse” (primeiro proponente), o que lhes permitirá garantir o direito de cobrir o melhor dentre os demais lances apresentados no processo competitivo de venda do negócio móvel do Grupo Oi.

“No caso de aceitação da proposta apresentada e na hipótese de concretização da operação, cada uma das interessadas receberá uma parcela do referido negócio”, informam as empresas em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), sem dar maiores detalhes da proposta.

A perspectiva da Telefônica é que, se concretizada, a transação agregará valor para seus acionistas e clientes através de maior crescimento, geração de eficiências operacionais e melhorias na qualidade do serviço. “Além disso, contribuirá para o desenvolvimento e competitividade do setor de telecomunicações brasileiro”, diz a companhia.

Já Tim, destaca que a operação é uma oportunidade de aceleração do seu crescimento e do aumento da eficiência operacional. “Na visão dos clientes, a transação promoverá ganhos na experiência de uso e melhoria na qualidade do serviço prestado, além da possibilidade de lançamento de produtos e ofertas”, diz a tele.

A Tim acrescenta que o mercado de telecomunicações em geral, terá como benefícios o reforço da capacidade de investimento, inovação tecnológica, bem como da sua competitividade.

A Claro, por sua vez, diz que a perspectiva é que, se concretizada, a transação agregará valor para seu seus acionistas e clientes através de maior crescimento, geração de eficiências operacionais e melhorias na qualidade do serviço.

Publicidade