Taxas futuras de juros se ajustam para cima após IPCA-15 acima da mediana


O resultado do IPCA-15 de outubro, que subiu 0,09%, ficando acima da mediana das projeções (0,03%) ajuda no ajuste de alta dos juros futuros na manhã desta terça-feira, 22, na contramão do dólar. Segundo operadores, no entanto, o dado não deve mudar a perspectiva de mais dois cortes de 50 pontos-base da Selic este ano.

Trata-se da menor taxa de variação do IPCA-15 para meses de outubro desde 1998, quando a taxa foi de 0,01%, segundo o IBGE. Nos 12 meses encerrados em outubro, o indicador ficou em 2,72%, abaixo do piso da meta de inflação para 2019, que é de 4,25%, com margem de tolerância de 1,5 ponto para cima ou para baixo, mas acima da mediana das estimativas do mercado financeiro (2,66%).

Às 9h18 desta terça, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2021 estava em 4,490%, de 4,437% no ajuste de segunda-feira (21). O DI para janeiro de 2023 exibia 5,450%, de 5,420%, enquanto o vencimento para janeiro de 2025 marcava 6,120%, de 6,110% no ajuste anterior.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora