Como proceder em momentos de retração da economia?

Existem algumas medidas que podem ajudam a enfrentar essa realidade: o que as empresas devem começar a fazer imediatamente diante desse cenário


Os últimos anos têm sido bastante turbulentos na política do país. E uma das consequências é a deterioração do cenário econômico, que gera muita instabilidade e prejudica o planejamento de longo prazo das empresas.

Para onde vai a taxa de juros? Será que o desemprego vai aumentar? E a inadimplência? Os impostos serão revistos? São inúmeros os questionamentos que rondam a cabeça dos empresários. E como crescer em momentos como esse? Confira dicas de ações que as empresas deveriam começar a fazer imediatamente.

Foto: Fotolia
Converse com seus sócios e avalie quais são as melhores saídas: pesquise modelos de sucesso e aprenda com eles

A crise econômica pode ser uma ótima oportunidade de rever conceitos, deixar de lado o que está fora de uso e analisar o que pode dar certo em termos de mercado competitivo. Confira dicas:

Custos fixos. Passe um pente fino nos custos da empresa, bem como nos índices de produtividade, reveja o que é necessário manter ou não. Há um case famoso para ilustrar essa situação. Bob Crandall, executivo da American Airlines, solicitou um estudo interno e descobriu que 72% dos passageiros não comiam as azeitonas servidas nas saladas durante o voo. A simples retirada do alimento fez com que a empresa economizasse mais de U$ 500 mil por ano.

Portfólio. Esse é um ótimo momento para rever produtos que não tem boa aceitação e revisar a estratégia de mercado. Dessa forma, você pode focar no que realmente tem maior aceitação e aumentar sua receita Potencialize a criatividade e a inovação!

Mercado. Analise como a empresa está posicionada no mercado e avalie como o consumidor está se comportando com relação aos seus produtos. Desta forma, é possível prever períodos de instabilidade que estão por vir e/ou se antecipar a tendências comportamentais de seu consumidor. Conheça sua concorrência!

Estoque. Produto parado no estoque é dinheiro que não rende. Avalie formas para que possam ter giro. Se for o caso, pense em promoções com produtos que tem menos saída. Às vezes, é melhor vender por menos do que ficar com o estoque encalhado. Cuide do equilíbrio e solidez de seu fluxo de caixa!

Cliente. Essa é uma dica que vale para sempre, não só em momentos difíceis. Estreitar o relacionamento com os clientes é fundamental para aumentar o seu nível de retenção e manter a receita recorrente. O grande desafio está em viabilizar soluções que valorize e o diferencie sob a percepção de seu consumidor, com custos de atendimento impessoal.

Time de vendas. Há um ditado chinês que diz: Não existe crise. Existe oportunidade. Em momentos como esse, apesar das empresas apertarem o cinto, é possível fazer novos negócios e identificar oportunidades de venda de produtos e serviços para clientes atuais. Motive o time de vendas a encontrar essas lacunas no mercado para aumentar sua receita e amplie a receptividade da empresa para lidar com as novidades trazidas do mercado pela equipe comercial, aperfeiçoe os canais de comunicação com ela. Capacite e valorize a equipe de vendas!

Ativos desvalorizados. Utilize a máxima “compre na baixa e venda na alta”. A crise pode abrir oportunidades atípicas, pois com a diminuição da demanda, há casos de desvalorização de ativos. Se você pensa em expandir sua empresa, pode ser este o melhor momento para investimentos de médio e longo prazo. Avalie se esse é um momento para comprar, por exemplo, um terreno, já que ele pode estar pela metade do preço e/ou adicionar participação de mercado ou complementar seu portfólio de forma inorgânica por meio de fusão ou aquisição. Liberte-se, mesmo que parcialmente, da operação!

Reputação da marca. Há marcas que vendem produtos sozinha. Construir uma reputação positiva da sua empresa é uma forma de aumentar a sua força de vendas de forma indireta. Se você trabalha com varejo, por exemplo, pode ser o momento de fazer alguma campanha para aumentar a fidelização e o engajamento dos clientes. Lembre-se que o consumidor não está disposto a pagar esta conta!

Novos mercados. Se a crise é no país, a saída pode estar no aeroporto internacional mais próximo. E se a empresa começar a exportar para mercados no exterior? Faça uma pesquisa prévia de aceitação e demanda de seus produtos e veja quais os trâmites para iniciar essa operação. Empreenda sempre!

Não culpe a crise. Crises vão e vem ao longo do tempo. Ficar de braços cruzados e culpar a crise é uma péssima ideia. Assuma responsabilidades, avalie os riscos e tome medidas, mesmo que sejam dolorosas. Pense de forma crítica em como você pode melhorar a situação, independente do cenário externo. Seja lógico e pragmático com visão equilibrada para o curto e médio prazo. Diferencie-se como gestor!

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!