Setor público tem déficit primário de R$ 19,567 bilhões em novembro


O setor público consolidado (Governo Central, Estados, municípios e estatais, com exceção da Petrobras e Eletrobras) apresentou déficit primário de R$ 19,567 bilhões em novembro, conforme informou na manhã desta terça-feira, 29, o Banco Central (BC). Este é o pior resultado para o mês da série histórica, iniciada em 2002.

Em outubro, o resultado havia sido negativo em R$ 11,530 bilhões e, em setembro, houve déficit de R$ 7,318 bilhões. Em novembro do ano passado, foi registrado déficit de R$ 8,084 bilhões.

O resultado primário consolidado de novembro deste ano foi ligeiramente melhor que as estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pelo AE Projeções, que iam de um déficit primário de R$ 20,000 bilhões a R$ 24,000 bilhões, com mediana negativa de R$ 21,500 bilhões.

O esforço fiscal do mês passado foi composto por um déficit de R$ 21,671 bilhões do Governo Central (Tesouro, Banco Central e INSS). Os governos regionais (Estados e municípios) influenciaram o resultado positivamente com R$ 2,352 bilhões no mês. Enquanto os Estados registraram um superávit de R$ 1,919 bilhão, os municípios tiveram superávit de R$ 433 milhões. Já as empresas estatais registraram déficit primário de R$ 249 milhões.

Acumulado

As contas do setor público acumularam um déficit primário de R$ 39,520 bilhões de janeiro a novembro de 2015, informou o BC – também o pior resultado para o período da série histórica. A quantia representa 0,73% do Produto Interno Bruto (PIB). No mesmo período do ano passado, havia um déficit primário no valor de R$ 19,642 bilhões ou 0,38% do PIB.

O resultado fiscal no acumulado deste ano foi obtido com um déficit de R$ 55,712 bilhões do Governo Central (1,03% do PIB). Os governos regionais (Estados e municípios) apresentaram um saldo positivo de R$ 19,495 bilhões (0,36% do PIB). Enquanto os Estados registraram superávit de R$ 17,193 bilhões (0,32% do PIB), os municípios alcançaram um resultado positivo de R$ 2,302 bilhões (0,04% do PIB).

Já as empresas estatais registraram um déficit de R$ 3,304 bilhões entre janeiro e novembro deste ano (0,06% do PIB).

Em 12 meses até novembro, as contas do setor público acumulam um déficit primário de R$ 52,414 bilhões, o equivalente a 0,89% do PIB. Segundo o Banco Central, o esforço fiscal piorou em 12 meses em relação ao período encerrado em outubro, quando estava negativo em 0,70% do PIB, ao totalizar R$ 40,932 bilhões.

Nos 12 meses encerrados em novembro, o Governo Central teve um déficit de R$ 54,957 bilhões (0,93% do PIB). Os governos regionais (Estados e municípios) apresentaram um superávit de R$ 8,179 bilhões (0,14% do PIB). Enquanto os Estados registraram um superávit de R$ 5,280 bilhões, os municípios alcançaram um saldo positivo de R$ 2,899 bilhões. As empresas estatais, no entanto, registraram um resultado negativo de R$ 5,637 bilhões no período.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora