Piora externa e ruído político fazem Ibovespa perder os 107 mil pontos


A queda nas bolsas em Nova York e a cautela política interna justificam o recuo do Ibovespa na manhã desta quarta-feira, 30, conforme analistas. O índice à vista da B3 perdeu a marca dos 107 mil pontos assim que as bolsas de Nova York migraram para o terreno negativo. Apesar de dados melhores que o esperado nos Estados Unidos, há o temor de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), que definirá o juro hoje à tarde, deixe de sinalizar novos recuos.

O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos cresceu à taxa anualizada de 1,9% no terceiro trimestre, de acordo com a primeira estimativa do indicador, ficando acima da mediana de alta de 1,6% das estimativas. Já o setor privado do país criou 125 mil empregos em outubro, segundo pesquisa ADP, também vindo superior às expectativas de geração de 100 mil postos de trabalho.

Para Jefferson Laatus, sócio fundador do Grupo Laatus, os dados dos EUA informados hoje vieram “bons”. Conforme ele, isso pode reduzir as expectativas de novos cortes dos juros pelo Fed. Também hoje, o Comitê de Política Monetária (Copom) define a nova Taxa Selic, que tende a cair de 5,50% para 5,00%, conforme estimativas do mercado.

Além da expectativa em relação ao Fed, aos sinais que a autoridade monetária poderá fazer assim que definir os juros, a crise política segue no radar dos investidores. “Por aqui, tem os ruídos envolvendo Bolsonaro no caso Marielle”, cita Régis Chinchila, da Terra Investimentos, ao referir-se ao clima político desconfortável após a citação do nome do presidente Jair Bolsonaro na investigação do caso da morte da vereadora Marielle Franco (PSOL), do Rio, e de seu motorista, Anderson Gomes, como mostrou reportagem da TV Globo. “Isso coloca uma pitada negativa” nos mercados”, reforça Jefferson Laatus.

Aqui no Brasil, os agentes devem ficar atentos na forma que o Banco Central (BC) dará, por exemplo, à reforma previdenciária, que foi aprovada recentemente e às novas revisões para cima nas projeções para o Produto Interno Bruto (PIB). Já no exterior, o foco no Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) deve ficar principalmente na guerra comercial entre EUA e China, que tem acentuado preocupações sobre a desaceleração econômica mundial.

“O mercado já dá como certa queda do juro aqui e lá fora, vai olhar quais os sinais que os respectivos comitês darão em relação às reuniões em dezembro, e farão algum alerta, sobretudo o Fed”, diz um operador. Às 11h06, o Ibovespa cedia 0,75%, aos 106.745,19 pontos, após variar entre mínima aos 106.622,01 pontos e máxima aos 107.557,11 pontos.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora