13 de julho de 2024 Atualizado 00:27

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Economia

Petróleo fecha em alta, apoiado por dado do DoE nos EUA e com melhora na reta final

Por Agência Estado

03 de julho de 2024, às 17h14

Os contratos futuros de petróleo fecharam com sinal positivo nesta quarta-feira, 3, com ganho de fôlego após o dado de estoques na semana do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) dos Estados Unidos. Além disso, o recuo do dólar ajudou a apoiar a commodity, que teve também um impulso extra mais para o fim da sessão.

O WTI para agosto fechou em alta de 1,29% (US$ 1,07), em US$ 83,88 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para setembro avançou 1,28% (US$ 1,10), a US$ 87,34 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE).

Os contratos já mostravam alta mais cedo, mas em boa parte do dia o fôlego esteve contido. Houve uma ampliação modesta no movimento após o relatório do DoE, o qual mostrou queda de 12,157 milhões de barris nos estoques dos EUA, na semana encerrada no dia 28 de junho, quando analistas previam baixa menor, de 1,1 milhão de barris. Na avaliação da Ritterbusch, a reação contida ao grande recuo semanal ocorreu pois boa parte dele estaria relacionado a estoques feitos por distribuidores antes do feriado desta semana nos EUA, o que deve “quase certamente ser revertido na próxima semana”.

Os ganhos dos contratos ainda melhoraram mais para o fim do dia, em jornada atípica com mercados de bolsas e Treasuries fechando mais cedo nos EUA, por causa de feriado na quinta-feira. Houve, na agenda, a divulgação da mais recente ata do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) nesta tarde. Os dirigentes continuavam a dizer que é necessário haver maior confiança antes de cortar os juros, mas também destacaram avanços recentes na luta contra a inflação acima da meta de 2%, bem como para vários deles uma desaceleração gradual na economia do país, o que poderia reforçar a perspectiva de cortes de juros mais adiante.

* Com informações da Dow Jones Newswires

Publicidade