Petrobras perde R$ 67 bilhões em manhã de pânico na Bolsa

Descontando o tempo de parada de pouco mais de meia hora, as ações da empresa foram negociadas por cerca de 45 minutos


Após as negociações na Bolsa brasileira ficarem paralisadas por 30 minutos, durante o acionamento do mecanismo de circuit breaker, as ações de Petrobras voltaram a ter forte queda nesta segunda-feira, 9. Os papéis ON recuavam 22,69% e os PN, 24%, às 12h27, enquanto o Ibovespa perdia 8,92%, aos 89.259,77 pontos.

Descontando o tempo de parada de pouco mais de meia hora, as ações foram negociadas por cerca de 45 minutos e, nesse tempo, a petroleira já perde R$ 67 bilhões.

O petróleo do tipo Brent segue em queda, embora menos intensa do que o observado mais cedo, com baixa de 18%, após a Arábia Saudita decidir aumentar a produção da commodity e reduzir os preços, movimento interpretado como retaliação à falta de acordo entre os membros da Organização dos Países exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) de cortes na produção.

De acordo com um analista do mercado financeiro, a decisão da Arábia Saudita pode colocar em risco novos projetos da Petrobras, assim como seu plano de investimentos. Outro especialista aponta que se a queda do preço do petróleo no mercado internacional perdurar a geração de caixa da Petrobras será afetada.

Frigoríficos e aéreas têm perdas

Ações de frigoríficos também se destacam entre as maiores quedas na B3. Os investidores começam a digerir as informações sobre problemas logísticos na China e aumento dos custos de produção, que estariam desafiando a indústria de carnes.

“Com o agravamento do coronavírus na China e a consequente desaceleração da economia chinesa, os portos se tornaram um problema, e contêineres parados no país passaram a ser desviados para outros destinos”, disse a XP Investimentos em relatório.

A avaliação é que a menor circulação de pessoas na China reduzirá o consumo fora do lar, afetando negativamente a demanda por proteínas.

Por volta das 11h40, JBS ON chegou a cair 11,90%, Minerva ON perdia 12,21% e BRF ON tinha baixa de 8,70%. Já Marfrig ON caía 15,99%.

As aéreas também acumulavam perdas. As ações PN de Gol e Azul amargam caem em torno de 10% diante da disparada do dólar que às 11h47 tinha alta de 2,30%, a R$ 4,7403.

Na máxima, chegou a R$ 4,7927. De acordo com analistas, as empresas seguem afetadas, uma vez que cerca de 70% de seus custos são atrelados à moeda americana.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora