Petrobras: Nova geração de plataforma custará menos e terá construção mais rápida


A Petrobras avalia um novo modelo de contratação de plataformas, tanto do ponto de vista financeiro quanto de engenharia. Com isso, espera reduzir riscos e tempo de acesso às unidades, segundo o gerente executivo de Construção e Serviços da estatal, João Henrique Rittershaussen, que participa de palestra na OTC 2019.

Em fevereiro do ano que vem já deve haver uma definição do novo desenho das embarcações. Além disso, do ponto de vista financeiro, avalia construir suas próprias plataformas. Outra opção é o arrendamento mercantil, em que tem a opção de ficar com a unidade ao fim do contrato.

Além disso, quer simplificar a contratação de fornecedores, possivelmente com um número menor de prestadores de serviços e fabricantes de equipamentos.

Ao todo, a Petrobras planeja uma demanda de nove plataformas a partir de 2021 para atender projetos de grande porte, como os campos de pré-sal e o de Marlim, na Bacia de Campos. A projeção é que cada embarcação tenha de 150 mil a 180 mil barris por dia de capacidade de produção de petróleo e de 6 milhões a 7 milhões de m3 por dia de gás.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora