11 de julho de 2020 Atualizado 08:54

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Pandemia

Os empreendedores durante a crise da Covid-19

É fundamental entender quais são os nichos de produtos e serviços demandados pela população neste momento

Por Da redação

31 Maio 2020 às 19:09

De acordo com dados divulgados pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), as vendas pelas internet aumentaram 100% no Brasil, por conta do coronavírus. Itens de saúde e de alimentação, por exemplo, têm visto cinco vezes mais pedidos desde que a pandemia começou.

Porém, estes não são os únicos setores a apresentar bons resultados. Empresas de tecnologia e de comunicação virtual também crescem neste momento, segundo um relatório da Bernstein Research, que mostra que negócios que possuem estas soluções são mais procurados na crise. Como o trabalho remoto se tornou uma necessidade nestes tempos de pandemia, a tecnologia se mostra a melhor resposta.

Estes pontos mostram como existe espaço para empreender, mesmo diante de uma pandemia e uma das piores crises ainda por vir, já que o pico deve acontecer entre maio e junho, segundo o Ministério da Saúde.

Para ajudar a empreender neste momento, os especialistas da Quero um Negócio e o Sebrae trazem uma série de dicas de como identificar as boas oportunidades.

De acordo com o Sebrae, para empreender na crise é preciso, primeiramente, fazer uma análise de mercado. É fundamental entender quais são os nichos de produtos e serviços demandados pela população neste momento.

Os relatórios mostram que certos setores sofrem danos, como o de turismo, mas outros, como o delivery, têm um impacto positivo.

Outro exemplo é, enquanto os bares estão fechados, as vendas de bebidas alcoólicas aumentaram durante o isolamento, segundo dados de redes de supermercado.

Especialistas da Quero um Negócio lembram que também existem aqueles que estão aproveitando ao máximo as oportunidades existentes.

Lavanderias, por exemplo, apostam no serviço de delivery para operar e prosperar durante a crise e o isolamento.

E de acordo com o Sebrae, seja qual for o seu negócio ou se você pretende comprar um, a crise é um momento de negociar valores e buscar parcerias.

Negociar contratos a um prazo maior, mas com um desconto, por exemplo, pode ajudar ambos a se manter e a fortalecer a relação.

Contudo, os especialistas da Quero um Negócio destacam a importância de evitar os desperdícios. Eles observam que muitos gestores diminuem a compra de insumos durante a crise, de modo a reduzir as contas. Porém, é comum que existam nas empresas desperdícios que atrapalham o faturamento. Uma boa oportunidade de empreender na crise é identificar estes desperdícios e eliminá-los.

COMPORTAMENTO
Especialistas também ressaltam a importância de observar o comportamento do cliente. Durante qualquer crise, é natural e esperado que o público fique mais atento aos gastos.

Por isso, é preciso fazer pesquisas de satisfação e acompanhar as tendências, usando estas informações para entregar exatamente o que o cliente deseja. Um exemplo óbvio, neste momento, são soluções para os clientes sem que eles precisem sair de casa.

Por fim, o Sebrae reforça a importância de não agir sem planejamento. Em condições normais, este é um dos principais fatores para o sucesso de um negócio.

Em um momento de crise, se torna ainda mais importante. Portanto, é preciso fazer projeções não somente para durante a crise, mas como o negócio se manterá daqui a 1 ou até 5 anos. Com estes cuidados, empreender durante a crise é possível.

Fonte: https://www QueroUmNegocio.com.br