14 de janeiro de 2021 Atualizado 21:40

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Economia

ONS diz que Aneel ainda investiga apagão no AP e é precipitado apontar culpados

Por Agência Estado

13 jan 2021 às 14:25 • Última atualização 13 jan 2021 às 14:51

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) informou que vai se manifestar no prazo previsto pela regulação sobre sua atuação no apagão do Amapá, e que é precipitada a conclusão de que foi um dos causadores do acidente que deixou sem luz mais de 700 mil pessoas por quatro dias no Estado.

A reação do operador se deve ao vazamento de um relatório da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que questiona o ONS sobre a falha do sistema. Segundo o ONS, o questionamento faz parte das investigações, que ainda não possuem nenhuma conclusão.

“O relatório em questão é o Termo de Notificação nº TN 023/2020-SFE, emitido pela Aneel e encaminhado ao ONS em 22 de dezembro de 2020. Trata-se de processo regular de fiscalização da agência, previsto em lei federal e regulamentado pela própria Aneel”, informou o ONS em nota.

Ainda de acordo com a nota, “o ONS se manifestará dentro do prazo previsto na regulação, prestando os devidos esclarecimentos e apresentando as evidências para demonstrar que atuou conforme suas atribuições legais, dispositivos regulatórios e as determinações dos procedimentos de rede, que são os documentos que regem a atuação do Operador, sendo estes aprovados pela própria Aneel”, explicou em nota. “Tão somente após esta etapa, a diretoria da agência reguladora emitirá o parecer final sobre o processo”, completou.

De acordo com o ONS, assim que constatou o problema na rede elétrica do Amapá, fez de tudo para minimizar os impactos para a população e agilizar a retomada da carga de energia. “Desde então, tem feito todos os esforços, trabalhando junto com outros agentes, para apurar o caso e adotar melhorias”, afirmou.

Publicidade