02 de julho de 2022 Atualizado 17:52

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Economia

Moraes vota para manter marco legal do saneamento

Por Agência Estado

01 de dezembro de 2021, às 16h47 • Última atualização em 01 de dezembro de 2021, às 17h24

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou para manter o novo marco legal do saneamento. Em julgamento nesta quarta-feira, 1º de dezembro, pela Corte, a lei já tem os votos favoráveis de três ministros: além de Moraes, de Kassio Nunes Marques e do presidente do STF.

Na sua manifestação, Moraes afirmou que o modelo de política pública anterior ao novo marco não foi capaz de “alcançar resultados mínimos”. “Resultados mínimos indispensáveis para a efetividade de direitos fundamentais da população brasileiro. Saneamento básico é um direito fundamental”, afirmou o ministro.

Moraes também argumentou que a nova lei não apresenta incompatibilidade com os ideias de modicidade e universalização dos serviços, como alegaram os partidos e as empresas estatais de saneamento ao STF. “Na verdade, esses ideais são alguns dos aspectos que justificaram a construção de papel regulatório mais sólido da Agência Nacional de Águas”, disse.

O ministro também corroborou com a regra do marco que exige a regularização dos contratos atuais como condição para que eles possam continuar a vigorar. “Não é possível que aceitemos que contratos que não estão produzindo o efeito correto se mantenham como estão”, afirmou Moraes.

Publicidade