06 de junho de 2020 Atualizado 12:40

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

covid-19

Suspensa divulgação de dados do mercado de trabalho

Ao menos 17 mil empresas deixaram de prestar informações sobre demissões em janeiro; cenário de pandemia tem dificultado regularização

Por Marina Zanaki

30 mar 2020 às 17:01 • Última atualização 30 mar 2020 às 22:27

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, suspendeu a divulgação de dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) referentes aos meses de janeiro e fevereiro.

O motivo é a falta de informações prestadas por meio do eSocial. O Ministério apurou que, somente no mês de janeiro, ao menos 17 mil empresas deixaram de prestar informações sobre demissões. Segundo a pasta federal, o cenário de pandemia do novo coronavírus (Covid-19) tem dificultado a regularização.

“Trata-se de dados de envio obrigatório e de responsabilidade das empresas e que, na presença de subdeclaração, podem comprometer a qualidade do monitoramento do mercado de trabalho brasileiro (…) Tal situação implica que o saldo de emprego formal, se divulgado, poderia apresentar valor superior ao que seria aferido se preenchido em conformidade”, explicou o Ministério da Economia.

A pasta informou que tem atuado em conjunto com o Conselho Federal de Contabilidade para que as empresas prestem as declarações por meio do portal do eSocial.

“No entanto, o cenário de pandemia causada pela Covid-19 tem dificultado a autorregularização de parte das empresas (…). Tão logo a situação voltar à normalidade e as empresas retomarem o envio completo das informações, ocorrerá ampla divulgação das estatísticas dos meses anteriores, como sempre ocorreu”, afirmou a pasta federal.

“Esclarecemos, por fim, que esta situação não interfere no pedido e na concessão do seguro-desemprego aos trabalhadores que tenham perdido seus empregos. O acesso ao benefício pode ser todo feito de forma virtual, tanto pelo gov.br/trabalho quanto pelo aplicativo Carteira de Trabalho Digital”, garantiu o Ministério.