Mesmo com tarifas de SP, administrados desacelerarão com força, diz Tendências


O aumento nas tarifas de transporte urbano na capital paulista não surpreendeu o analista Márcio Milan, da Tendências Consultoria Integrada, que tinha na conta um aumento de cerca de 7%. O aumento de quase 8,6% nos preços dos bilhetes de ônibus e metrô na cidade de São Paulo deve ter impacto de aproximadamente 0,07 ponto porcentual no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), segundo Milan.

“Não veio muito diferente. A grande parte da influência deve aparecer em janeiro, sendo que o efeito do aumento do metrô deve ser quase nulo, pois o peso é muito pequeno. Já estava na conta. O IPCA de janeiro deve ficar na faixa de 0,80%”, afirmou. Vale lembrar que, de um total de 13 regiões que integram o IPCA, São Paulo tem o maior peso, de cerca de 24%.

A despeito do reajuste, Milan estima que os preços administrados, que podem fechar 2015 em 18,2%, devem desacelerar significativamente para 8,35% em 2016. “Devem continuar pressionados no primeiro semestre, mas em 12 meses os administrados tendem a desacelerar. No ano que vem, não devemos mais ter o imbróglio em energia elétrica, com reajustes elevados e a adoção do sistema de bandeira vermelha em 2015. Isso deve sair da conta”, relembrou. Já o IPCA, segundo a consultoria, deve fechar 2015 em 10,7% e arrefecer para 7% em 2016.

in store walgreens photo coupon h-quer.de promo code walgreens photo
LIBERAL VIRTUAL Acesse agora