Mesmo com exterior positivo, Ibovespa oscila com realização de lucros

Depois de abrir em alta e acima dos 91 mil pontos, o Ibovespa ficou instável e passou a alternar altas…


Depois de abrir em alta e acima dos 91 mil pontos, o Ibovespa ficou instável e passou a alternar altas e baixas nesta terça-feira, 8, puxado pelo setor financeiro. As ações da Petrobras também caíram, mas pontualmente, com a alta de mais de 1% do petróleo sustentando a valorização dos papéis.

Segundo dois operadores ouvidos pelo Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), o movimento é uma realização de lucros num dia de poucas notícias corporativas. A principal é a negação do governo de que vai pagar US$ 14 bilhões à estatal no âmbito do acordo sobre a cessão onerosa.

Às 11h09, o Ibovespa caía 0,17% aos 91.557 pontos. Na máxima, marcou 92.231 pontos em alta de 0,58%. Na mínima, foi aos 91.483 pontos em queda de 0,24%. Mesmo na menor pontuação do dia, o indicador acumula alta de 4,14% no ano.

Os agentes do mercado estão atentos à reunião ministerial, que é fechada à imprensa. Assim como aconteceu da semana passada, não está previsto nenhum pronunciamento após o término do encontro.

Sobre declarações públicas, o presidente da República, Jair Bolsonaro, inclusive, fez uma medida concreta nesta terça. Em despacho publicado no Diário Oficial da União, orientou que a comunicação deve ser impessoal e eficiente, ato que sucede a confusão da semana passada sobre o aumento do IOF.

No exterior, os índices acionários seguem em alta. O clima é de otimismo em relação às negociações comerciais entre Estados Unidos e China, que devem ser concluídas nesta terça-feira.

Perto do horário acima, a bolsa de Londres subia 0,97%. O futuro do Dow Jones em Nova York tinha alta de 0,73%. O petróleo do tipo Brent tinha alta de 1,24%. A commodity ainda reage positivamente à intenção anunciada pela Arábia Saudita de cortar suas exportações da commodity.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora