Levy confirma dois novos diretores para o BNDES

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) terá dois novos diretores, mas o presidente da instituição de fomento,…


O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) terá dois novos diretores, mas o presidente da instituição de fomento, Joaquim Levy, evitou confirmar os nomes nesta quarta-feira, 27. Os mais cotados são os executivos Roberto Marucco, vice-presidente responsável pela área de operações globais de tecnologia da Avon, e Denise Pavarina, que em janeiro deixou o Bradesco, onde ocupava o cargo de diretora-executiva de relações com investidores.

Os nomes de Marucco e Denise circulam pelos corredores do banco, e foram revelados pela colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo. Segundo uma fonte ouvida pelo Estadão/Broadcast, os nomes estão confirmados.

“A aprovação dos nomes dos novos diretores ainda tem que passar por instâncias de aprovação do próprio banco antes de podermos anunciar. Quando estiver concluído o processo, vamos ter o prazer de anunciar. Espero que isso se dê brevemente”, afirmou Levy, em entrevista coletiva sobre os resultados financeiros do BNDES em 2018.

Atualmente, o BNDES tem seis diretores, além de Levy. José Flávio Ramos (Finanças), Karla Bertocco (Governo e Infraestrutura) e Henrique Bastos (Compliance) foram indicados por Levy, ainda em janeiro. Eliane Lustosa (Investimento), Claudia Prates (Empresas) e Ricardo Ramos (Estratégia e Transformação Digital) já compunham a diretoria.

Prates e Ramos são funcionários de carreira do BNDES. Nos últimos anos, especialmente ao longo dos governo dos PT, a maioria dos diretores era formada por funcionários concursados do banco, mas o quadro começou a mudar com a chegada da economista Maria Silvia Bastos Marques como presidente, em 2016, logo após a formação do governo Michel Temer. Levy já teria dito a alguns interlocutores que não pretende ter diretores de carreira sob seu comando.

Conforme uma fonte ouvida sob condição do anonimato, Ramos deixará a diretoria. Como Marucco cuida, na Avon, justamente da área tecnológica, deverá assumir seu lugar. Pavarina, embora tenha experiência no mercado de capitais, poderia chegar sem que Lustosa saia.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!