Leve retomada do crédito não implicou em elevação do risco de liquidez, diz BC


O Banco Central pontuou nesta quinta-feira, 11, por meio do Relatório de Estabilidade Financeira (REF), que “a leve retomada do crédito não implicou em elevação do risco de liquidez”. “Os indicadores de risco tanto de curto quanto de longo prazo melhoraram ainda mais no segundo semestre de 2018”, acrescentou a instituição.

Ao tratar do crédito para veículos, o BC pontuou que a expansão recente no segmento “não carrega os riscos observados durante a expansão ocorrida entre 2009 e 2012”.

Especificamente sobre o setor imobiliário, o BC ponderou que os riscos “reduziram-se após o aumento durante o período de recessão”. “O financiamento habitacional representa um terço do crédito às famílias e se caracteriza como uma das carteiras com menor nível de risco”, acrescentou o BC.

No documento, o BC também registrou que o resultado dos testes de estresse, aplicados sobre as instituições financeiras, confirmam a resiliência do sistema bancário.

Risco de crédito

O Banco Central pontuou que “não há indícios de elevação do risco de crédito incorrido pelas instituições financeiras”. “Os ativos problemáticos mantiveram-se estáveis ou em queda na maior parte das modalidades de crédito às famílias”, acrescentou a instituição.

No documento, o BC avaliou ainda que “o crédito às pessoas físicas deve continuar em ascensão, caso se confirme o cenário de recuperação econômica e a materialização da melhora da expectativa captada pelo índice de confiança do consumidor”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!