Governo formaliza exoneração de Sebastião Barbosa da presidência da Embrapa


O Ministério da Agricultura divulgou exoneração do presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Sebastião Barbosa. A resolução, com data de terça-feira e assinada pelo presidente do Conselho de Administração da instituição, Fernando Silveira Camargo, foi publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União (DOU). Mais cedo, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou que a escolha do novo presidente da Embrapa será feita “com muita calma”. De acordo com Tereza Cristina, por enquanto não há um nome definido. O diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa, Celso Luiz Moretti, vai assumir o comando da instituição até que o substituto de Barbosa seja escolhido.

A exoneração de Barbosa estava prevista para ocorrer no dia 27 deste mês, segundo Barbosa informou na terça, em videoconferência com os chefes das unidades da Embrapa, conforme nota publicada no sistema interno da Embrapa e obtida pela Coluna do Broadcast Agro, confirmada posteriormente pela assessoria de imprensa da instituição. Barbosa havia sido informado na segunda-feira pela ministra de que deixaria o cargo. Indagado se preferia sair ou ser exonerado, ele disse ter preferido a última opção, já que “participou de um processo de seleção e estava desenvolvendo um trabalho no qual continua acreditando”.

No início deste mês, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, durante café da manhã com parlamentares da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), que a Embrapa seria “repontencializada”. “Eu e Tereza Cristina estamos discutindo nomes para assumi-la. Essa questão está caminhando muito bem”, afirmou Bolsonaro na ocasião.

A Coluna do Broadcast Agro havia antecipado, no dia 28 de junho, que o Ministério da Agricultura havia decidido substituir Barbosa. No cargo desde outubro passado, ele foi escolhido no mandato do então ministro Blairo Maggi para substituir Maurício Lopes. A ideia era buscar um profissional com um perfil mais aberto ao mercado e até mesmo um representante do setor privado que não fosse funcionário da Embrapa, conforme a coluna. Barbosa é pesquisador aposentado da unidade de algodão da empresa. (COLABOROU FABRICIO DE CASTRO)

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora