Francischini começa a apreciar requerimentos para inverter pauta e ler parecer

O clima esquentou no plenário da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara com a tentativa do presidente do…


O clima esquentou no plenário da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara com a tentativa do presidente do colegiado, Felipe Francischini (PSL-PR), de passar logo à apreciação dos requerimentos. A oposição, por outro lado, tenta estender a sessão lançando uma série de questões de ordem para protelar os trabalhos.

Francischini já havia indeferido uma série de pedidos quando a deputada Erika Kokay (PT-DF) tentou lançar mais uma questão de ordem. Alegando que não se tratava de matéria nova, o presidente da CCJ tentou passar logo à apreciação dos requerimentos. A medida despertou forte reação da oposição, deputadas do PT ficaram de pé no plenário e iniciou-se um intenso bate-boca. “O senhor não pode cassar a palavra de quem quer que seja”, bradou Erika Kokay.

Francischini tentou retomar os requerimentos e chegou a pedir que os deputados “mantivessem o decoro”, mas acabou cedendo para que a deputada petista prosseguisse com suas considerações, após protestos. “Vossa Excelência não pode ser sabujo do fim da aposentadoria e rasgar o regimento”, disse Erika Kokay, que pedia discussão sobre a inversão da ordem do dia. O pedido foi novamente indeferido, e Francischini acabou sendo aplaudido por deputados favoráveis à proposta, incluindo o filho do presidente Jair Bolsonaro Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), presente à sessão.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!