06 de junho de 2020 Atualizado 11:45

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Economia

Fitch: coronavírus eleva risco de refinanciamento e defaults nas empresas da AL

Por Agência Estado

30 mar 2020 às 18:23 • Última atualização 30 mar 2020 às 20:46

A Fitch avalia que o coronavírus aumentou o risco de refinanciamento para as corporações latino-americanas com dívida que vence neste ano, particularmente para as emissoras com grau especulativo e baixa liquidez que operam em setores de alto risco graças aos efeitos da pandemia. De aproximadamente US$ 11 bilhões em dívida que vence no restante de 2020, cerca de 20%, ou US$ 2,5 bilhões, são detidos por essas emissoras, “potencialmente levando a mais defaults diante das condições extremamente desfavoráveis no mercado de capital”, alerta a agência em comunicado.

A Fitch diz que dividiu em categorias os setores das empresas da América Latina, além de caracterizar as posições de liquidez das empresas com vencimentos de bônus em 2020. Ela vê a maioria dos setores como com risco acima da média, diante do potencial de uma contração significativa do crescimento econômico global. Companhias aéreas, ligadas ao turismo e lazer, petróleo e gás, açúcar e etanol estão entre aquelas com o risco mais alto, aponta.

YPF e Grupo Idesa, de petróleo e gás, estão entre as empresas com dívida substancial neste ano e baixa liquidez, diz a agência.

Já Avianca, Digicel e Odebrecht registraram casos recentes de default, aponta, e têm dívida combinada de US$ 200 milhões prevista para este ano.