09 de julho de 2020 Atualizado 08:47

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Economia

Fatia da dívida atrelada à Selic sobe e prefixada cai em abril

Por Agência Estado

27 Maio 2020 às 15:53 • Última atualização 27 Maio 2020 às 16:48

No primeiro mês totalmente impactado pela pandemia do coronavírus, a parcela de títulos atrelados à Selic na Dívida Pública Federal (DPF) subiu de 37,74% em março para 38,7% em abril. Nesse período, a participação de papéis prefixados caiu de 30,63% para 28,85%.

Os títulos remunerados pela inflação subiram de 26,38% para 26,87%. Já os papéis cambiais aumentaram a participação na DPF de 5,24%% em março para 5,54% em abril.

Com exceção dos títulos prefixados, todos os papéis estão dentro das metas do PAF para este ano. O intervalo do objetivo perseguido pelo Tesouro para os títulos remunerados pela Selic em 2020 vai de 38% a 42%. Para os prefixados, o intervalo vai de 29% a 33%. No caso dos que têm índices de preço como referência, a meta é de 24% a 28% e, no de câmbio, de 3% a 7%.

Parcela a vencer

A parcela da DPF a vencer em 12 meses subiu de 21,44% em março para 21,54% em abril, segundo o Tesouro Nacional.

O prazo médio da dívida aumentou de 4,00 anos em março para 4,04 anos, em abril.

O custo médio acumulado em 12 meses da DPF apresentou redução de 9,53% a.a. em março para 9,36% a.a., em abril.