Exterior traz cautela, mas dólar reduz alta com reunião entre Poderes no foco


O dólar desacelerou a alta no mercado à vista e já caiu pontualmente na manhã desta terça-feira, 28, no mercado futuro, para depois voltar a subir. O mercado reagiu a declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, de que a reunião entre representantes dos três Poderes “foi excelente”. Guedes disse que não há antagonismo entre os Poderes. Já Lorenzoni enfatizou que “se consolida a ideia de que se formalize um pacto a favor da retomada do crescimento”.

O investidor precifica também no mercado cambial a cautela no exterior com a dívida pública italiana, que impulsiona a moeda americana frente seus pares principais e algumas divisas emergentes ligadas a commodities.

Há compasso de espera ainda pela Comissão Especial da reforma da Previdência, que tem audiência pública na Câmara, e pela votação no Senado da Medida Provisória 870, que reestrutura os ministérios, ambos a partir das 14h30. Essa MP, da reforma administrativa, perde a validade no próximo dia 3, e a maior polêmica gira em torno do destino do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), se fica no Ministério da Justiça ou no da Economia.

Mais cedo, o Índice de Confiança da Indústria (ICI) de maio teve uma queda de 0,7 ponto em relação ao fechamento de abril, para 97,2 pontos, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Às 9h37 desta terça-feira, o dólar à vista subia 0,37%, a R$ 4,0504. O dólar futuro para junho estava em alta de 0,17%, a R$ 4,0520.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora