Empréstimos na China sofrem forte queda em fevereiro com impacto de coronavírus


Os bancos da China desaceleraram fortemente o ritmo de liberação de empréstimos em fevereiro, após o recorde visto no mês anterior, à medida que o impacto da epidemia de coronavírus limitou a tomada de crédito pessoal.

Dados do Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) mostraram hoje que os bancos do país concederam 905,7 bilhões de yuans (US$ 130,19 bilhões) em empréstimos no mês passado, representando menos de um terço do valor inédito de 3,34 trilhões de yuans registrado em janeiro.

O resultado de fevereiro ficou abaixo da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam 1,05 trilhão de yuans em novos empréstimos.

O financiamento social total, uma medida mais ampla do crédito na economia chinesa, também sofreu um tombo entre janeiro e fevereiro, do montante também recorde de 5,07 trilhões de yuans para 855,4 bilhões de yuans.

Já a base monetária da China (M2) teve acréscimo anual de 8,8% em fevereiro, maior do que o ganho de 8,4% verificado em janeiro. Economistas projetavam avanço menor no último mês, de 8,5%. Fonte: Dow Jones Newswires.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora